O que comer em Buenos Aires?


Postagem 03 de 10

Geralmente, em todas as viagens que faço, alimentação é uma parte importante.
Acredito que a comida expressa a cultura de um lugar. Além disso, nosso paladas também constrói grandes memórias. A única viagem que não me alimentei tão bem, foi a primeira viagem que fiz ao Chile, pois a minha companheira de viagem tinha outro ritmo. E como ela quem criou o itinerário, me entreguei às experiências que seriam promovidas através disso. A viagem foi ótima, mas senti falta de provar mais da culinária local. Você é como eu? Comida é algo importante em suas viagens? Então, continue lendo…

Se você ainda não leu a primeira e segunda parte dessa série sobre Buenos Aires, é só clicar aqui para ler o artigo sobre nossa hospedagem, ou aqui para ler sobre o Show de Tango que assistimos em Puerto Madero.


🎁 Quer ganhar R$130,00 de créditos no aplicativo Airbnb ao hospedar-se?
É só inscrever-se clicando nesse link.


Antes de começarmos, preciso deixar uma dica.
Defina qual o perfil de sua viagem. 

Muitas pessoas se equivocam e erram feio nas contas ao planejar uma viagem, por simplesmente se pautarem em planos, roteiros e coisas prontas que encontram na internet. Entretanto, um dos principais triunfos de uma viagem, é definir exatamente qual o orçamento que você tem disponível, e em qual categoria/classe ele se encaixa. Em absolutamente nada adianta você pegar um roteiro pronto e seguir um passo a passo de um lifestyle que na prática, você sairá frustrado. Já aconteceu comigo, e não foi legal.

WhatsApp Image 2019-02-15 at 22.14.19

Orçamento definido para a viagem à cidade de Buenos Aires:

Defini um orçamento de R$3500 (três mil reais) para uma viagem de 5 dias.

Vale considerar que num sentido prático, não precisei nem mesmo da metade desse valor, porque como fui à Buenos Aires a trabalho, meu custo foi muito reduzido por conta dos meus patrocinadores. Considere também, que o custo de vida em Buenos Aires é relativamente baixo, se comparado ao Brasil. Então, R$3500 (três mil e quinhentos reais) é muito dinheiro para viver na cidade por cinco dias. Com exceção da classe média alta, que tende a “queimar” muitas notas num único dia. Não é meu caso.

A hospedagem que escolhemos:

Poderíamos ter economizado muito mais em hospedagem, se tivéssemos ficado na hospedagem que escolhemos inicialmente. Mas mediante o susto que passamos, escolhemos fazer a migração para um apartamento num bairro com o metro quadrado um pouco mais caro. Nossa diária, teve o custo de R$201 (duzentos e um reais). O transporte, optamos por táxi e Uber. A propósito, Uber funciona muito bem em Buenos Aires.


Cupom de Desconto no Uber: hun9hzqjue
E no Uber Eats: eats-hun9hzqjue


003 - Madero Tango - Buenos Aires - Tango em Buenos Aires

Agora que você já sabe onde ficamos hospedadas, sabe que transitamos do centro histórico de Buenos Aires, ao bairro de Belgrano – considerado bairro nobre. Ainda assim, nossa hospedagem teve um ótimo custo-benefício pelo Airbnb. Diria que nossa hospedagem é ideal para um casal de classe média. Perto do apartamento, tínhamos algumas facilidades: agências bancárias, lotéricas, casa de câmbio, restaurantes, supermercado, padarias, pontos de ônibus, pontos de táxi… Tudo com fácil acesso ao centro histórico da cidade. Na rua de nossa hospedagem, um mercado Dia (temos a franquia aqui no Brasil), hamburguerias, padarias, cafés (inclusive, um Starbucks muito próximo), pizzarias, brechós, sorveterias… Bem completo! Para nós, foi uma benção.

A comida em Buenos Aires:

Brasileiro está acostumado a comer bem. Bem em questão de qualidade, diversidade, quantidade. E Buenos Aires cumpre bem seu papel! Comida deliciosa, muita diversidade, com ótimo custo-benefício. Os pratos típicos em Buenos Aires são eles:

  • Empanadas
  • Pizza + Fainá
  • Sorvete de Doce de Leite
  • Doce de Leite
  • Churrasco
  • Alfajor
  • Bife de Carne de Vaca (Chorizo)
  • Pão com linguiça (Choripan)
  • Picada (tábua de queijos, frios, salames)
  • Bife à milanesa

Bem, foram esses os 10 pratos que mais vimos em Buenos Aires. Todos os que continham carne, foram dispensados por mim. Estou em uma “dieta” vegetariana. Então, optei por não consumir nem um deles. Todos os demais, Luana e eu, provamos.

Leia também: Guia de Viagem ao Chile

Nosso roteiro culinário:

Dia 1: Sábado

Nosso plano, era chegar e já ir conhecer uma pizzaria bacana. Mas não deu muito certo. Na verdade, deu bem errado o nosso plano (rindo de nervoso). Assim que chegamos em Buenos Aires, estávamos morrendo de fome e sem previsão para sairmos do Aeroporto. Então, acabamos optando por um lanche do MC Donalds, que nem me lembro o nome. Tudo no padrão mundial. Chegando no primeiro apartamento, não tinha nada para comer nem beber.

Dia 2: Domingo

Depois do sufoco que passamos, a plataforma Airbnb nos levou a um hotel bem próximo ao Obelisco. Foi lá, por volta das 13h00 que fizemos nossa primeira refeição — uma deliciosa massa no Buenos Aires Grill, próximo ao Obelisco. Nesse restaurante, o atendimento foi excelente. Eles aceitavam todas as formas de pagamento e bandeiras Mastercard e Visa. O cardápio não era super lotado. Mas era um bom cardápio. Os preços, excelentes. Apenas bebidas que não compensam muito (acredito que em nenhum lugar do mundo). Meu prato custo em torno de R$27. O da Luana, que foi um Ravióli com recheio de abóbora, deve ter sido em torno de R$29. A bebida que pedi, era H2O. Mas eles me trouxeram esse refrigerante da imagem. É muito saboroso! Acredito que seja o H2O deles. Em torno de R$6. Ah! Vale mencionar que, assim que chegamos ao restaurante, fomos servidas com entrada de pães e molhos.


♥ Dica do amor: na Argentina, eles cobram uma taxa de serviço de mesa, qual chamam de Cubierto. Mas veja bem, além do cubierto, você também paga (por ética) uma taxa de 10% ao garçom. Diferente do Brasil, a taxa de cubierto na Argentina não é opcional. Já os 10%, segue nosso ritmo. Pagamos por ética. Então, é importante ter ciência e se programar para isso, para que não vá com dinheiro contado e enfrente alguma situação desconfortável. Outra dica, é que essa taxa não deve ser cobrada (de acordo com a lei) para consumidores menores de 12 anos. E se você pedir um copo de água da casa, ele também não poderá ser cobrado (inclusive, isso é bastante comum no Chile, Argentina e Uruguai). E a taxa também não se aplica caso você apenas utilize o espaço para um café, drinks e bebidas.

Depois do almoço de Domingo, ali mesmo na rua do Buenos Aires Grill, compramos alguns alfajores; compramos vários, para experimentarmos. Jorgelín, Jorgito, Genio, Havanna, Milka e Cachafaz. Os preços variam entre R$2 a R$9. Exceto o Cachafaz, que entre todos, foi o mais caro. Pretendo falar mais sobre ele, mais pra frente. O meu favorito foi o Jorgito de chocolate branco e o Cachafaz. Entre todos que provei, o Havanna acabou sendo aquele superestimado, que nem é tão bom assim. Numa top list, ele estaria na nona colocação, inclusive. Claro, isso é bastante pessoal.

007 - Madero Tango - Buenos Aires - Tango em Buenos Aires

Depois de comer tantos alfajores, descansamos no hotel. E na parte da noite, fomos jantar no Madero Tango, a convite da DayTours4u. A experiência varia entre R$250 a R$910. E você pode conferir como foi, com todos os detalhes, clicando aqui.

Informação adicional: próximo ao Hotel Ibis Obelisco (onde ficamos apenas uma noite), está a famosa pizzaria Guerrin. Se estiver por perto, abra o Google Maps e experimente! Depois volta aqui para me contar como foi.

Dia 3: Segunda-feira

Não tomamos café. Na verdade, estávamos tão cansadas, que perdemos a hora do café da manhã do hotel. Na manhã do segundo dia, migramos novamente para nossa nova e melhor hospedagem durante a viagem à Buenos Aires. Chegamos perto do horário do almoço. Então, aproveitamos para conhecer uma hamburgueria que ficava bem em frente ao nosso apartamento.

24 - comida

A Hamburgueria tem toda a decoração e cardápio inspirado em uma de minhas séries prediletas: Breaking Bed. E tem ótimas opções vegetarianas, além de um cardápio bem diversificado, ótimo preço e um atendimento que dá saudade! O combo de lanche, batata rústica, molhos à vontade e refrigerante, ficou em torno de R$23.

23 - comida

De lá, compramos um picolé numa vendinha próxima ao apartamento, que nem tinha nome. Bem baratinho! E fomos conhecer arredores. Depois de passear um pouquinho, retornamos ao apartamento, nos aprontamos e fomos a um festival de música. Chegando do festival, jantamos em uma pizzaria bem casual, chamada “Kentucky” (existe desde 1942). Pizza diferente da que estamos acostumadas. Mas valeu a pena! O pedido valeu muito a pena! Estava rolando uma promoção de 2 fatias + uma Pepsi de garrafa por $140 (pesos argentinos). Que convertendo hoje, ficaria em torno de R$15. Bom, né? Há algumas unidades espalhadas pela cidade. Mas a que conhecemos foi na mesma rua de nossa hospedagem:

De lá, voltamos para casa e descansamos.

Dia 4: Terça-feira

04 - comida

Acordamos sem fome. Esperamos pela hora do almoço. E mais uma vez, comemos um burger no Heisenburger. Confesso que: apesar de ter gostado demais da hamburgueria, quase retornar, pretendo explorar melhor arredores. Descobri que havia um Tea Connection bem ali, pertinho, e não fui conhecer. Gostaria muito! Mas tudo bem!

De lá, fomos para Palermo Soho, para uma vivência; o Street Art Walking Tour, qual pretendo falar mais a respeito, nas próximas postagens. Lá em Palermo, passamos num mercadinho de vila e compramos Chips. Comprei uma de batata doce, que não gostei muito. Mas tinha um preço bem bom. Menos de R$6 (seis reais) o saco bem grandão. E uma água.

Depois do passeio, ainda em Palermo Soho, paramos na padaria “Don Blanco”. Lugar delicioso, aconchegante e com um precinho super camarada! Nosso sanduíche com suco, não custou mais que R$14 (quatorze reais). Vi que haviam muitos restaurantes e cafés bacanas por lá. Pretendo retornar e conhecê-los melhor.

18 - comida

De lá, fomos conhecer alguns lugares bem populares; começamos pelas Galerias Pacífico, seguimos para a Floralis, Universidade de Direito e foi ficando tarde. Já havíamos aproveitado bastante, e resolvemos voltar para o apartamento e jantar por lá mesmo! Passeando pelas ruas, conhecemos a Boom! Uma pizzaria super moderninha, com um atendimento excepcional. Inclusive, foi onde provamos a típica Fainá (que é uma pizza de farinha de grão de bico, bem estranha rs).

Observação: não estou conseguindo incorporar o mapa no texto. Vou deixar o endereço, está bem? Fica na Avenida Federico Lacroze, número 2362. Bem pertinho do Banco Santander Rio.

Dia 5: Quarta-feira

06 - Enogarage - Blog da Lira

Último dia de viagem, nossa pretensão era tomar café na cafeteria “Norma” que ficava em baixo de nosso apartamento. Mas eles não aceitavam a bandeira Mastercard. E como não valeria a pena trocar dinheiro naquela altura do campeonato, abortamos a missão e resolvemos ir em direção ao nosso último passeio. Pelo caminho, paramos em um estabelecimento qual não consigo me lembrar o nome, e comprei uma salada de frutas (que estava deliciosa) por $30 (em torno de R$4) e a Luana comprou um sorvete. De lá, caminhamos a pés até vinoteca, onde viveríamos a experiência com vinhos nacionais e queijo. Sobre a Enogarage, pretendo contar com detalhes na próxima postagem.

Informação adicional: próximo ao apartamento que locamos, estão lugares muito populares entre os turistas; Café Martinez, Café Havanna, Tea Connection

Espero muito que essa postagem tenha sido útil a vocês e que tenha dado pelo menos a mínima noção sobre quantos reais são necessários para ter boas refeições. Num geral, me surpreendi bastante com os bons preços que encontramos durante nossa estádia em Belgrano e Buenos Aires num geral.

— Leia também: Hospedagem em Buenos Aires – Tour pelo Apartamento
— Leia também: O que fazer em Campos do Jordão em um dia
— Leia também: Spa Zen em SP – Chakra do Coração

Acompanhe a série:  01 | 02 | 03 | 04 | 05 | 06 | 07 | 08 | 09 | 10

🎁 Quer ganhar R$130,00 de créditos no aplicativo Airbnb ao hospedar-se?
É só inscrever-se clicando nesse link.


CRÉDITOS

Essa viagem faz parte do projeto #DeliraPeloMundo. Ela relata experiências reais de uma jovem empreendedora, que escreve histórias pelo mundo. Todo o conteúdo, incluindo vídeos do YouTube foram produzidos pela equipe Blog da Lira, com o suporte da empresa Pocket Agency. A experiência foi promovida pela Pocket Agency e DayTours4u. Toda a cobertura foi feita utilizando a internet da T-Mobile, disposta por nossos parceiros há quatro anos: EasySim4u.
Para convites, parcerias e trabalhos: pontodalira@gmail.com

Anúncios

5 comentários em “O que comer em Buenos Aires?

Olá! Seu comentário passará por aprovação. Se seguir nossos procedimentos, ele estará disponível em algumas horas.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s