Guia de estilo: Coco Chanel | Tomboy Style

 


Não tem como falar sobre estilo, e não mencionar o “Tomboy Style”. E não tem como falar sobre “Tomboy Style” e não mencionar Coco Chanel – o maior ícone de estilo de todos os tempos. E é com ela, que começaremos esse artigo.

Gabrielle Bonheur Chanel (Saumur, 19 de agosto de 1883Paris, 10 de janeiro de 1971)[1] foi uma estilista francesa e fundadora da marca Chanel. É a única estilista presente na lista das cem pessoas mais importantes da história do século XX da revista Time.

Gabrielle Chanel, antes de tornar-se uma das pessoas mais importantes do século XX, passou sua infância em um orfanato. E sua adolescência como cantora em um “café-concerto” de oficiais, na França. Foi nessa época, que Gabrielle recebeu -possivelmente- de um dos oficiais, o apelido de “Coco”, por sua interpretação na música “Qui qu’a vu Coco dans l’Trocadéro”. 

Mesmo trabalhando como cantora, Coco sempre amou costurar. Era ela quem produzia seus próprios figurinos. E mesmo não havendo chance alguma para Coco dentro daquele café, ela acaba conhecendo muitos oficiais. Dentre eles, o oficial Balsan, que era herdeiro de uma fábrica de tecidos. Através dessa amizade, Coco passa a frequentar a alta sociedade. E acaba conhecendo o milionário Arthur Capel.


Capel foi o grande amor de sua vida. Mas, também foi um grande colaborador para o sucesso de Coco Chanel, quando a ajudou a abrir sua primeira loja de chapéus na França. A história quase proibida de amor entre Capel e Coco, teve um fim trágico em 1919, quando Capel morre em um acidente de carro. Coco, apesar disso, resolve seguir sua vida; abrindo sua própria casa de costura. E foi nessa casa de costura que Chanel lançou as primeiras calças femininas.



Aproveito para indicar a vocês o filme “Coco before Chanel” (fique de olho, pois haverá resenha), que conta -com absoluta maestria-, um pouco da história de Gabrielle Chanel, antes de tornar-se Coco Chanel.


 

Coco Chanel aplicava em seus looks, detalhes que até então, pertenciam as produções masculinas de sua época; trazendo liberdade e conforto aos looks femininos.

“Eu criei um estilo para um mundo inteiro.
Vê-se em todas as lojas “estilo Chanel”. Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda; Chanel não sai da moda.”
Coco Chanel

ESTILO TOMBOY:

Não preciso dizer que o estilo Tomboy, teve como maior referência, a poderosa Coco Chanel, não é mesmo?

Como mencionamos acima, conforto e liberdade, eram as principais características de cada look criado por Coco Chanel. E hoje, podemos usufruir dessa liberdade com muita elegância e criatividade.

Camisas, gravatas, óculos de lente transparente, calças de alfaiataria, t-shirts, chapéus, bonés, bolsas transversais, casacos, blazers, calças de cortes mais retos, menor quantidade de acessórios, cabelos “meio bagunçados”, coletes, e o queridinho sapato oxford, são algumas das características contidas nesse estilo. 

Para contrapor, você pode optar por scarpin, laços, estampas meigas, saia lápis, saia midi, sandálias, sapatilhas, bolsas de mão… Dentre outras inúmeras opções, para deixar seu look ainda mais elegante, sem perder o conforto.

Veja algumas ideias de looks para se inspirar:

E aí? O quê você acha do estilo Tomboy, ein?

Gratidão por me ler.


 

Gostou desse artigo? Compartilhe Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira

Netfontes_ail_et_fines_herbes_Logo-1

Anúncios

Inspiração do dia | Flores

Primavera:
substantivo feminino
  1. 1.
    estação temperada e amena, entre o inverno e o verão [No hemisfério sul, estende-se do equinócio de setembro (22) ao solstício de dezembro (20); no hemisfério norte, do equinócio de março (21) ao solstício de junho (20).].
  2. 2.
    fig. tempo primordial; aurora.
    “animais que existiram na p. do mundo”

“Minha doce menina, escrevo-lhe este bilhete para desejar-lhe um tanto de amor e paz neste coração tão seu (e tão meu). Tenho repousado meus olhos sobre ti, e enxergo-te murcha. Minha doce menina, aquieta-te. Acalma-te. Escrevo-lhe para desejar-lhe tranquilidade e calmaria. Escrevo-lhe para que te lembres de quem tu és, e jamais te esqueças de quem sou. Minha doce menina, tu és esperada e amada como a Primavera. Sorrio só de imaginar que em algum momento, vais vir. Tens o brilho do sol e da lua em ti. Fostes criada com tanto amor. Por quê não compreendes? Por quê tu não vês que fostes criada e movida, pelas mãos de quem rege o universo? Minha doce menina, venha depressa, volte-se a mim. Fique aqui: bem perto de mim. Minha doce menina, escuta-me: Espero-te. Venha, pois quero fazer-lhe desabrochar em felicidade. Venha! Pois, ainda que estejas murcha, florescerás. Flores-será.
(Flores-será, Thaís Lira)


Gostou desse artigo? Compartilhe Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira


 

Netfontes_ail_et_fines_herbes_Logo-1

 

 

Contato profissional: Contato@pontodalira.com.br