10 personagens icônicos do mundo das animações [FEM]

10 personagens icônicos do mundo das animações [FEM]

Fiz uma lista de 10 personagens femininos do mundo das animações, que para mim, são icônicos. Tenho certeza que você vai se identificar com várias deles. Foi divertido fazê-lo. Me diverti bastante. Espero que se divirtam também.

Continue lendo “10 personagens icônicos do mundo das animações [FEM]”

Anúncios

Só pode ser amor

SÓ PODE SER AMOR - SIGNIFICADO DO AMOR - BLOG PONTO DA LIRA - NETOS E AVÓS - AMOR DE VÔ - DIA DO AVÔ

Era por volta de nove horas da noite, quando chamei meu querido avozinho para conversar um pouco. Apesar de estarmos fisicamente distantes (se comparado há alguns anos atrás, quando morávamos juntos), a internet tem nos proporcionado muitos reencontros. Após alguns minutos divertidos de conversa pelo Whatsapp, respeitando suas dificuldades ao digitar, achamos melhor dar continuidade ao nosso papo, por ligação.

Parei tudo o que estava fazendo para atendê-lo. Nada poderia ser mais importante do que isso. Assim como eu, tenho certeza que meu avô também deixou tudo o que estava fazendo para dedicar-se à nossa conversa. E é sempre assim: Minutos muito divertidos, com doses intensas de sabedoria. Não existe uma só conversa que tenhamos, que não seja muitíssimo prazerosa e cheia de grandes reflexões e aprendizagens.

O papo estava divertido. Ele me contou que estava “comendo muito, feito um burrinho”. Entrando na onda, respondi: “Nem posso comer como um burrinho, vozinho. Por que estou uma bolinha”. E então, -uma pausa- a seguinte resposta: “Não. Você não está igual uma baleia não”, as gargalhadas respondi: “Vô, eu disse BOLINHA e não baleia”. Ele caiu na risada e continuou: Você é uma menina muito bonita. Você é a neta do vô, muito bonita! Você não está igual uma bolinha. Você tem que fazer igual o vô! O vô come feito um burrinho. Então, se você comer feito um burrinho, você vai parecer um burrinho e não uma bolinha”. Parece bobagem, mas foi impressionante como essa colocação bem humorada e delicada, fez todo sentido para a realidade que tenho vivido.

Depois, ele começou a me contar sobre alguns planos que tinha para os próximos dias. Ele me contou que estava gravando áudios com reflexões. E que depois de gravar alguns áudios, ele colocaria em um CD (vale ressaltar, que meu avô é e sempre será um grande admirador do Cid Moreira). Ele pediu que eu escutasse os dois áudios que enviaria para mim, e que eu desse um feedback, pois era muito importante pra ele saber se deve continuar ou não. Sem sequer ter escutado os áudios, o interrompi naquele momento e disse: “O senhor deve continuar sim! O senhor é ótimo nisso! Desde criança, me lembro de ver o senhor recitando versículos bíblicos no microfone que tinha em sua casa. E me lembro das gravações que fazia com este mesmo microfone, em seu rádio gravador. O senhor sempre gostou disso. E sabe de uma coisa? Gosto mais ainda! Pode me mandar tudo, que vou escutar com muito carinho e atenção”.  Senti sua voz mais baixa, um pouco tremula: “Você se lembra?”. “Na verdade, nunca me esqueço, vô”.  Contei a ele, que também fazia gravações e postava aqui no blog, para que meus leitores escutassem. Ele disse: “É mesmo? Não sabia! Me mande pra que eu ouça e diga o que achei. Se eu achar bom eu vou dizer pra você!”. E assim, ficamos combinados.
Neste momento. Meu coração fora invadido pelo seguinte pensamento: Nossos sonhos não têm prazo de validade. Enquanto houver vida em nós, podemos realizá-los. Nunca é tarde demais para fazer aquilo que se ama. Nunca é tarde demais para realizarmos aqueles pequenos planos engavetados, aqueles sonhos quais compartilhamos e quase todos se esqueceram, aqueles projetos nunca executados. Enquanto há vida em nós, há chances de realizar.
o-verdadeiro-amor-e-exigente-implacavel-e-ao

Continuando a conversa, ele me contou que estava fazendo algumas reformas em sua casa. E que ao mudar o forno elétrico de um lado para outro, o mesmo, caiu ao chão e o vidro estraçalhou. Por isso, ele pegaria esse forno elétrico, e iria ao técnico amanhã a fim de arrumá-lo. Então, perguntei: “Mas está tudo bem com o senhor? O senhor se machucou?”. Ele, mais uma vez bem humorado e delicado, respondeu: “Ah, sim! Está tudo bem graças a Deus. O forno elétrico caiu no chão. Se tivesse caído em minha cabeça, não estaria nada bem. Mas caiu no chão. Já pensou? Um burrinho com a cabeça quebrada”. Um pouco preocupada, perguntei novamente: “Mas não caiu nem mesmo no pé do burrinho? Imagine só, um burrinho manco?”. Ele caiu na gargalhada a tal ponto, que deu umas tossidelas. Estava realmente tudo bem com ele. E naturalmente, tudo ficou perfeitamente bem comigo.

E ele estava muito determinado a acordar cedo e ir resolver o problema com seu forno.

Mais uma vez, aprendizagem. Em momento algum, meu avô demonstrou frustração por ter quebrado o forno, e por ter que acordar cedo em uma segunda-feira, para ir ao técnico e gastar dinheiro para consertá-lo. Pelo contrário, ele conscientizou-se que a culpa por ter quebrado o forno foi sua. Mas que está tudo bem. E que se estressar por isso, só vai fazê-lo perder o tempo que poderia estar simplesmente sorrindo. O riso, torna qualquer problema pequeno. A ciência de que problemas estão ao nosso redor para serem resolvidos otimiza nosso tempo, e não permite que pequenas circunstâncias desagradáveis, estraguem nosso dia, nosso fim de semana, nossa relação com as pessoas que amamos. Fazer tempestade sobre quaisquer que seja o ocorrido, não soluciona o problema. O que soluciona o problema, é tomar uma atitude sobre ele.

Então, respeitando o tempo de meu avô, e reconhecendo que ele precisava descansar para cumprir seu plano diário, agradeci muito pela conversa e disse que ligaria para ele novamente ao longo da semana. Ele -como sempre faz- disse que ficava muito feliz em falar comigo. E que era muito legal “trocar ideia” comigo (sim, sim, ele é super cool).

Dizem que conforme as pessoas vão envelhecendo, elas vão tornando-se como crianças; riem o tempo todo, fazem coisas engraçadas, contam piadas, perdem a vergonha sobre várias coisas, e estão sempre vendo o lado bom em tudo. E claro: Elas ficam ainda melhores com o tempo. Concordo. No caso do meu avozinho paterno, isso é um verdadeiro fato.

O que ele nem imagina, é que sua alegria transborda, contagia e me transforma. Transforma meu dia, minha noite, minha vida. O que ele nem imagina, é que -com pequenas frases ditas com imenso cuidado, honestidade e carinho- ele me ensina. Me ensina sobre o amor que vence tudo e todas as coisas. Me ensina sobre a força, que vence toda e qualquer vulnerabilidade e fragilidade. Me ensina sobre a delicadeza, que faz toda rispidez e dureza, tornar-se insignificantes fragmentos. Me ensina sobre vitalidade, que não tem relação com a idade, mas com a maneira como você se posiciona acerca da vida. Me ensina sobre a falta, que muitas vezes, sobre. Mas, o que é a falta quando a presença é constante dentro de nós? Me ensina que o momento mais precioso e importante, é o agora. Me ensina que nunca é cedo ou tarde demais para realizar.

O que ele nem imagina, é que só de ouvir sua voz e saber que ele permanece aqui, me emociona sobremaneira. Meus olhos enchem de lágrimas. Enquanto falo com ele, meu coração acelera, enquanto meu corpo desacelera. Só tenho aquele momento. Nada tira minha atenção. E todo tempo do mundo, não basta, quando estamos conversando.


Isso só pode ser amor.

Quais os seus principais defeitos?

Bonjour!
Como estão? Espero que estejam bem. Por aqui, vai tudo bem.
10 DEFEITOS - TOPO
Vem cá? Vamos conversar?

O artigo de hoje (vai ser grande), carrega boas doses de humor. Mas, sobretudo, o imenso desejo de compartilhar minha saga em busca de algumas mudanças interiores; que têm me levado a profundas reflexões sobre quem fui, quem tenho sido, e quem desejo ser. Nesse processo de busca, tenho feito inúmeras atividades, que têm me modificado – gradativamente – pouco a pouco. Dentre essas atividades, há a atividade de hoje. Chamei essa atividade de “Lidando om meus maiores defeitos”. O exercício consiste em três passos importantes: RECONHECER, REFLETIR e MODIFICAR. Reconhecer meus maiores defeitos, refletir sobre eles e sobre a maneira como eles têm me afetado e afetado quem está a minha volta. E por último, buscar estratégias e maneiras de ser mais equilibrada com relação a cada um deles, pra que eu seja uma pessoa mais feliz do que tenho sido.

Sou uma dessas pessoas que prega o amor próprio. Acho que devemos nos amar e nos apreciarmos como somos, sim! Até por que, enxergo o amor próprio como algo inteiramente ligado ao meu presente. À maneira como sou/estou aqui-agora. Mas isso não deve me fazer colocar um tampão sobre meus olhos, com relação aos meus principais defeitos, quais têm prejudicado não apenas a mim, mas as pessoas que amo. Vale ressaltar, que quando uso o termo “principais defeitos” estou os colocando como prioridade, pois são coisas que em algum ponto da vida, têm me prejudicado muito mais do que outras coisas. Combinado? Continuando…Em nada me adianta amar a mim mesma, amar minhas qualidades e aceitar meus defeitos, tornando-me mesquinha e egoísta, ao ponto de achar que está tudo bem assim. E ter aquele pensamento errôneo de: “dane-se se isso tem prejudicado outras pessoas. Eu nasci assim, vou crescer assim, e vou morrer assim!”.

Não podemos entender a mensagem de amor próprio e auto-aceitação de forma errada. Essas mensagens têm um objetivo único: Nos levar o mais perto possível daquilo que REALMENTE somos, para que sejamos REALMENTE felizes, apesar de tudo.

Borá lá?

Fiz minha primeira lista, com meus maiores defeitos. E ela ficou assim:

1. Preguiça | Procrastinação:
10 DEFEITOS - PROCRASTINAÇÃONão tenho dúvidas que este é o meu maior defeito. De fato, é o que mais tem me prejudicado. Quando menciono a preguiça, não falo naquele sentido de ser dorminhoca, de querer descansar depois de me alimentar, ou coisas desse tipo. Mas, preguiça de me socializar, por exemplo. E a péssima mania de procrastinar. Eu adio, tudo. Deixo tudo para um amanhã, qual nem sei se existirá. Isso me faz deixar tudo para última hora. Isso faz com que eu realize menos do que poderia realizar. Isso me afasta de viver novas experiências. E atrasa a resolução de problemas; como por exemplo, conversar sobre aquele assunto meio complicado, por simplesmente achar que isso pode ser resolvido outra hora. E principalmente: Me priva de viver momentos incríveis. E é extremamente prejudicial não apenas para mim, mas a todos que convivem comigo.

Minha principal estratégia para mudar: Fazer planos e cumpri-los, sem medo. Não adiar reuniões, encontros, conversas, viagens. Substituir a palavra: “Amanha eu faço” por “Ok. Vou fazer agora!”. Continuar sendo honesta sobre isso (sim! Sou o tipo que adia um compromisso e diz: “Vamos marcar pra outro dia? Por que estou com preguiça!”), mas sempre certa de que cada vez que adio um plano, um encontro, uma conversa, estarei perdendo uma oportunidade. Adiar apenas quando houver necessidade real.

2. Individualismo | Excesso de auto-suficiência:
10 DEFEITOS - INDIVIDUALISMO
Cresci sendo a única menina da casa. Além disso, sempre estive submetida a muitas doutrinas e regimes tradicionais. “Menina, conversa com menina”. “Menina, brinca com coisas de menina”. “Menina, senta como menina”. “Menina, menina”. E apesar de ter burlado o sistema, e de ser um projeto de menininha que não deu muito certo, devo admitir que por conta disso, me tornei muito individualista. Estou acostumada com “meu”, “pra mim”, “eu”. Justamente por isso, não me importo muito em estar sozinha. Para mim, estar acompanhada por outra pessoa (ou outras pessoas), ou não, é um “tanto faz”. Aprecio minha própria companhia (até demais!), gosto do meu próprio silêncio, e gosto muito de mim. Às vezes, acho melhor ficar sozinha, do que ter gente por perto. E ser assim, fez de mim, uma mulher independente demais. E isso me leva a um orgulho desnecessário; daqueles que não pede ajuda, não reconhece fraqueza, etc. E mesmo sendo compreensiva, uma boa ouvinte, e de não reter nada de bom aos outros, sempre sinto que não sei ser retribuída, não ser receber. Pra mim, o que eu sou e faço, já está suficiente. Preciso dizer que excesso de auto-suficiência é prejudicial? Não, né?giphy

Minha principal estratégia para mudar:
Vou começar devagar. Apreciar e explorar o quão bom pode ser ter outras pessoas por perto. Não apenas aconselhar, ouvir, ser colo e ombro das pessoas que se achegam a mim Mas, abrir mais os meus ouvidos para ouvir conselhos dos outros. Exercitar o meu coração para receber colo, carinho e aconchego alheio. Continuar amando minha própria companhia. Mas apreciar sobremaneira, quem estiver ao meu lado. Afinal, ninguém tem a capacidade de ser plenamente feliz, sozinho. Aprender que há lacunas em mim, que podem ser preenchidas pelo o que as outras pessoas têm a me oferecer.

3. Insônia | Lutar contra o sono:10 DEFEITOS - INSONIAFalar sobre meus defeitos, e não mencionar a insônia, seria o mesmo que não reconhecer o quanto isso me prejudica. Apesar de amar a vida noturna, e de ficar muito mais concentrada e criativa durante a madrugada, acabo sofrendo com improdutividade e falta de disposição durante o dia. Além de ter um sono completamente transtornado, fico lutando contra ele, quando ele vem. E aí, ele me vence pela exaustão. E é terrível ficar exausta. O grande problema, é que a exaustão vem quando você menos espera; pode ser durante uma reunião às 9h00, durante o desenvolvimento de um texto às 15h00 da tarde, ou durante um conversa importante, às 19h00 da noite.

Minha principal estratégia para mudar:
Tirar tudo o que me tia o sono, do quarto; notebook, livros, jogos, televisão, maquiagem, sapatos (sim, eu fico querendo experimentar roupa de madrugada). Tornar o ambiente mais clean possível, e aconchegante. E continuar reproduzindo playlists que incentivam o sono. E tentar dormir “No horário corretor”, independente do que esteja fazendo. Nada é mais importante do que uma boa noite de sono.

4. Desconfiança | Mania de perseguição cognitiva:
Young man with lens
Sou uma das pessoas mais desconfiadas quais já tive o azar de conhecer. Infelizmente, tenho dificuldade absurda em confiar nas pessoas. Quem convive comigo, sente-se completamente seguro e confortável em compartilhar qualquer coisa comigo. Mas, raramente, me sinto confortável a tal ponto. Gosto de conduzir minhas conversas. Gosto de estar sempre no controle. Talvez, seja esse o motivo de ser tão desconfiada, de ter tanto receio de colocar minhas fraquezas sobre uma bandeja e entregá-la à outra pessoa. São raríssimas as pessoas que já conseguiram chegou ao ápice de minha confiança. Raras. E apesar de amar a mensagem de “se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo”, às vezes, a carga fica pesada demais. Às vezes, o coração quer explodir. Às vezes a gente quer “atirar alguns pratos”, soltar o verbo e despejar os acúmulos.

tumblr_lk8ub52aku1qauuneo1_500
Um salve pra galera do Ensino Médio, que me apelidou de House. 

Minha principal estratégia para mudar:
Compartilhar muito mais coisas com meus amigos. Ser mais segura acerca da escolha que fiz em ter cada um deles na minha vida. Ter certeza de que os tenho, e que eles me têm também. Entender que quando confio neles, estou retribuindo a confiança que depositam em mim. Não existe nada de errado nisso. Corro risco de me decepcionar? Sim! Mas, não vale a pena viver trancado dentro de uma bolha, só pra evitar as decepções.

5. Sarcasmo | Ironia:
Ser sarcástica e irônica, tem o seu momento de graça. Mas quase sempre, é algo que insulta e resulta em discussões e tensões. O que por sua vez, é bem desagradável. Já entrei de cabeça em muitas discussões, que começaram com uma ironia, ou um sarcasmo inapropriado. Só que, acho que estou fugindo tanto de discussões hoje em dia, que resolvi diminuir as doses desse excesso todo. Juro que já mudei muito sobre isso. E espero melhorar cada vez mais. giphy1

Minha principal estratégia para mudar:
A ideia é manter o equilíbrio. Aprender a usar a ironia e sarcasmos, sem ofender, insultar e magoar as pessoas.

6. Desastrada:
10 DEFEITOS - DESASTRADA
“Ser desastrada, tem seu charme”. Okay. Sabemos. Mas, não dá pra negar que pessoas desastradas tendem a passar por grandes apuros na vida. Eu, por exemplo (juro gente! Sou o melhor exemplo de desastre), vivo quebrando coisas (em lojas, na casa das pessoas, em minha própria casa, etc). Machuco pessoas (esbarrando, tropeçando e me apoiando nelas, derrubando elas junto comigo, etc). Me machuco e corro risco de morte constante  (vivo tropeçando no meio da rua, me queimando, derrubando vidro, pisando em buracos, chutando pedras, por exemplo). E por ser assim, acabo dificultando muito meus diálogos. Se estivermos conversando sobre algo muito sério, provavelmente, você vai cair na gargalhada em algum momento, por alguma coisa bem bizarra que farei durante a conversa. Já derrubei café na visita, enquanto ouvia ela contando sobre como o divórcio dela havia sido algo terrível. Já queimei as mãos ao esquecer de colocar a luva para retirar a forma de bolo do forno. Já dei um tapa na cara de algum estranho na rua, enquanto articulava meus braços durante um assunto complicado. Já fiz coisas que dão muita vergonha. Parece legal, mas não é. É sério.

misssimpatia
Um salve pra Jessica, que me chama de miss simpatia).

Minha principal estratégia para mudar:
Realizar mais atividades que exijam minha total concentração. Parar de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Focar apenas no que é mais importante naquele momento. Olhar para o chão enquanto estiver andando. Parar de mexer os braços enquanto converso. Tentar agir naturalmente. Não respirar.

7. Perfeccionismo:

10 DEFEITOS - PERFECCIONISMO

Parece piada. Mas não é. Sim, eu sou uma pessoa exigente, e perfeccionista e desastrada. Sim. Sempre pensei que era apenas desastrada. Até as pessoas que convivem comigo, começarem a pontuar todas as vezes que eu  alinhava demais, organizava demais, planejava demais, exigia demais. Sou o tipo de gente que coloca todos os cabides para a mesma direção. Sou o tipo de pessoa que separa as coisas por tamanho e por cor. Sou o tipo de pessoa que não se conforma com coisas desalinhadas. Sou o tipo de pessoa que fica com a mão coçando, quando algo está aparentemente fora de sincronia. A Patrícia (psicologa), disse que isso tem nome. Nem quis saber qual era. U.U E bom, também posso dizer que esse perfeccionismo todo, me deixa super critica. Critico demais. Ou seja: Um defeito que pode ser dividido em vários. Mas beleza. Tô aprendendo, gente. Juro.

Minha principal estratégia para mudar:
O básico e típico: “SEJE MENAS KIRIDA”.

8. Ignorar | Tratar com indiferença | Não dar importância:
10 DEFEITOS - INDIFERENÇA ORIGINAL
Não sou o tipo de ser humano mau e irracional, que vê alguém com fome e retem o alimento. Não sou o tipo de ser humano que nega o que é bom. Mas, se em algum momento da vida, alguém me magoar, me atingir, me decepcionar… Daí, lascou! Ela vai pra minha lista negra. Eu -provavelmente- irei retribuir isso (com muita força) tratando-a com indiferença. Provavelmente, irei ignorá-la, e não darei a menor importância a ela, pelo resto da vida. E talvez, você pensou: “E se ela pedir desculpas? Pedir perdão? Se redimir?”. Vou desculpá-la, perdoá-la e reconhecer a remissão. Massssss, mesmo depois disso, vou continuar no “caguei” pra ela. Problema, eu sei.

tumblr_m53fmfwvqf1qjda95o2_500
Um salve prazamiga que adoram dizer que sou “meio Blair”. –‘

Minha principal estratégia para mudar:
Dar às pessoas as mesmas chances e oportunidades quais gostaria que elas dessem a mim, caso eu fraquejasse com cada uma delas. Ser um pouco mais flexível. Abrir mão.

9. Indiscrição | Não saber disfarçar:
10 DEFEITOS - INDISCRETA
Muitos chamam esse defeito de excesso de sinceridade. Mas, como enxergo a sinceridade como uma qualidade absurda, vou chamar essas características como “Indiscrição”. Que é de fato o que sou. Não sei ser discreta, em momento algum, e sobre nada. Tá tudo estampado na minha cara. Se tô feliz ou não, se gostei ou não, se estou satisfeita ou não, se amei ou odiei, se falei a verdade ou menti; vai estar tudo bem aqui nessa carinha de pau. Sem contar que, maioria das vezes, sou indelicada e estou sempre soando grosseira. Não sei ser educada, discreta, delicada quando se trata do que estou sentindo genuinamente. Complicado.

tumblr_inline_mkuknd66ur1qz4rgp

Minha principal estratégia para mudar:
Lembrar que fui muito bem educada. Lembrar que não posso confundir “ser verdadeira” com “ser indiscreta” ou “ser indelicada”. Lembrar que assim como eu não sou obrigada a gostar de algo, as pessoas não são e nunca serão obrigadas a me agradar sempre. Lembrar que minhas caras, bocas, palavras e atitudes, podem machucar quem está a minha volta. Ser menos espada.

10. Extremista:

10 DEFEITOS - EXTREMISMO

Ou preto, ou branco. Ou quente, ou frio. Ou gosto, ou não gosto. Raramente, uso o termo “talvez”. Ou mergulho de cabeça, ou me mantenho longe d’agua. Ou estou de corpo e alma, ou simplesmente não estou. Ou sou boa, ou sou má. Ou concordo, ou não concordo. Ou apanho, ou bato. E assim por diante. Sou sempre muito extrema. Nunca consigo “neutralizar” situações, ou ser mais flexível diante de algumas circunstâncias. Isso me prejudica bastante. E acredito que todos os defeitos mencionados acima, chegam bem aqui:
na necessidade absurda que tenho de manter o equilíbrio das coisas. O equilíbrio é um dom divino, fundamental para que sejamos felizes e contentes com quem realmente somos, e a maneira como temos vivido. Quando mantemos o equilíbrio, estamos sendo sábios. E a sabedoria é, sem dúvidas, uma das maiores e melhores dádivas que alguém pode alcançar na vida.


Essa foi minha lista. Agora, deixo aos meus leitores e amigos a mesma missão: Listar seus 10 principais defeitos, e compartilhá-la com seus amigos, para que jusos possamos alcançar o equilíbrio, a sabedoria. Combinado?

Obs: Se você não tem um blog, pode publicar em uma de suas redes sociais. Ou se não estiver vinculado a nada disso, me mande um e-mail: pontodalira@gmail.com pra trocarmos figurinhas. Será ótimo, tenho certeza. Boa sorte! ❤


ASSINATURA BLOG

 

Séries e seriados: “Orange is the new black” | Minhas impressões {TP 1}

Estava a procura de uma série um pouco mais descontraída e fora do padrão de séries quais costumo acompanhar nessa vida de viciada em séries. E puxa! Estava bem difícil de escolher a melhor opção, vez que já assisti grande parte das grandes séries que temos por aí. Mas, amigos existem para isso: Indicar séries. E foi isso que o Bruno Farias (um dos melhores amigos do mundo) fez. Ele me indicou “Orange is the new black”, que é uma série original da Netflix. Até o momento, a série possui 4 temporadas. Cada uma, com 13 episódios. Cada episódio, tem duração média de 60 minutos. Apesar de ser uma série considerada cômica, pode-se dizer que ela aborda temas muito polêmicos, com boas sacadas e pitadas de bom humor.

Do quê se trata a série “Orange is the new black”:

A série criada por Jenji Kohan (2013), tem como personagem principal, Piper. Piper está na casa dos 30 anos, noiva, bem sucedida, e completamente livre de seu passado. Ou melhor, isso era o quê ela queria. Mas, na verdade, Piper acaba de ser sentenciada a 15 meses de prisão, por um crime que cometeu há quase dez anos. E é exatamente nessa prisão, que a história começa a ganhar vida. E não é apenas a história de Piper que rouba a cena; cada uma das detentas quais aparecem em destaque na série, têm suas histórias contadas no decorrer da primeira temporada. E esse é o brilho da coisa toda: A gente descobre o motivo que levaram a cada uma delas de estar ali, naquela prisão. E descobrimos também, o quanto temos um pouco de cada personagem da série -bem aqui- dentro de nós. Vale a pena, de verdade!

Jones, sua linda! ❤

Minhas primeiras impressões sobre a série: Mamilos polêmicos. Sim! A primeira coisa que aparece na série, são tetas. Muitos peitos. Mas, eu juro: Você vai se acostumar com a “peitaria” toda.

Miga, sua loka!

Brincadeiras a parte, a série cativa. Cativa tanto, que eu assisti a primeira temporada inteirinha, na mesma noite. E veja bem, eu não tinha pretensão alguma de passar a noite assistindo aquela série. Juro que eu pretendia assistir um episódio por dia. Meu planinho, não deu certo. Mas valeu a pena quebrar a rotina e fugir dos planos.

Ri horrores. Ri de verdade (confesso: berrei!).

A foto acima, diz muito sobre cada personagem. Ainda não tenho o nome de todos na ponta da língua. Até poderia jogar uma lista com o nome e características de cada um. Mas, vou evitar desgaste mental. E claro, deixar que vocês descobram o nome e as características de cada um deles. Mas, ainda assim, há outros quatro personagens (além da Jones), quais vale a pena mencionar: Sophia, Alex, Bennett e Nicky! ❤


Notas de uma observadora:
São os favoritos do momento. E só pra deixar BEM CLARO: Eu DETESTO o policial “Pornstache”. E acho o Larry super desnecessário nessa série. Ah, queria ter protagonizado a última cena da primeira temporada. #ficadica


Gostou desse artigo? Compartilhe Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/blogpontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira

 

Semeando sonhos

A vida é uma terra fértil, onde todas as sementes que atirarmos sobre ela, germinarão e florescerão. Isso é um fato. A escolha de semear – seja o quê for – ou de não semear, é nossa. Nos pertence. Temos essa liberdade. Liberdade de escolher. E das muitas sementes que tenho “em mãos” para semear; escolhi semear sonhos. Passei a minha vida inteira, semeando sonhos. E cá estou eu, sendo privilegiada com a oportunidade de realizar cada um deles. Um a um. Um de cada vez. Sem medo, sem pressa. Certa de quê “o quê for pra ser, vai ser” e “o quê tiver que acontecer, vai acontecer”. De verdade. Cá estou eu, seguindo o meu caminho, respeitando a sincronicidade como as coisas acontecem aqui na terra, e em todo o universo. Cá estou eu, me harmonizando com o TUDO e com o TODO. Cá estou eu, em paz; respeitando o tempo de “El Rói”. Entendendo e compreendendo que Ele rege tudo, e contempla todas as coisas. E que deixar tudo em Suas mãos, também é uma escolha. E foi isso que eu escolhi. Escolhi confiar, semear, esperar e receber. Acreditando que mesmo diante de cada uma das minhas vulnerabilidades, Ele continua sendo Senhor. Ele nunca falhou, e nunca irá falhar. E que os planos que Ele tem para mim, são infinitamente mais brilhantes do quê cada um desses, quais eu mesma rascunhei. Cá estou eu, esperando pelo Senhor do tempo, que é especialista em realizar tudo em Seu tempo. O Senhor que vence minhas antecipações, minhas ansiedades, minhas desistências, meu desespero, meus deslizes… O Senhor que me controla, me ensina, me acalma, me faz compreender… E me prepara para receber e realizar todos os meus pequenos e grandes sonhos, e – muito mais que isso – me prepara para viver estes planos perfeitos quais Ele tem, e que são bem melhores e maiores que os meus. Cá estou estou, vivendo e esperando o tempo certo de tudo. Cá estou eu, recebendo de coração aberto, cada uma das bençãos que Ele reservou para mim. Cá estou eu, bem viva, e – inteiramente – pronta para viver exatamente tudo o quê nasci pra viver. Mais uma vez: Confio, semeio, espero e recebo!

“Os olhos de Deus estão sobre os caminhos dos homens,
e Ele contempla todos os seus passos.”
(Jó 34:21)

Por Thaís Lira


 

Gostou desse artigo? Compartilhe ❤ Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com 

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira