Notas de uma observadora: O resto não lhe cabe

Notas de uma observadora: O resto não lhe cabe

Está tudo do avesso, eu sei. Bem distante de tudo aquilo que você sempre sonhou. Distante de tudo aquilo que sonhamos. Sei que o mundo tem parecido mais caótico do que quando nossos avós nos falava sobre ele. Sei que o fim do mundo, parece cada vez mais distante. E ao mesmo tempo, paira sobre nós, a dura sensação de que o mundo desabou. Faz tempo. A propósito, o tempo… Tem passado com toda a sua força. O tempo passa, e não há tempo para passatempos. Os livros, parecem estar sempre em branco. As músicas, desafinadas. Todos têm andado depressa. Com tanta pressa, que lenta e grosseiramente, passam por cima uns dos outros. Doem os nossos pés. Doem as nossas costas. Dói nossa cabeça. Aqueles remédios que tanto nos gabávamos por não precisarmos, já são indispensáveis num dia de sol, numa noite qualquer.

Continue lendo “Notas de uma observadora: O resto não lhe cabe”

Anúncios