Você está provando da felicidade?

você está provando da felicidade - blog ponto da lira

Bonjour, como você está? Espero que esteja tudo bem por aí.
Vamos falar sobre felicidade?

Estamos habituados com esse termo. Vemos e convivemos com pessoas que o usam regularmente. Mas, o que significa o termo “Felicidade”?

blog ponto da lira felicidade

Como pode ver acima, a felicidade é um ESTADO. Ela traduz um sentimento, mediante algo que ocorre dentro de você. A felicidade, tem total relação com satisfação e contentamento. É subjetivo, e relativo. Cada individuo prova da felicidade, a sua maneira. Não existe um formato único de felicidade, um modelo pronto. Isso significa que, se Lucas sente-se feliz recebendo um ótimo salário e andando com o carro do ano, não quer dizer que Paula sinta-se da mesma maneira possuindo essas duas coisas. Talvez, o que deixe Paula realmente feliz, seja um picolé ao lado de sua sobrinha, em um Domingo qualquer. Não existe uma categoria pronta, ou um lugar aonde devemos estar, para que venhamos considerar-nos pessoas felizes. Biologicamente falando, o ser humano sente-se feliz, mediante o resultado de uma atividade neural fluída. Ou seja: Quando algo criado em sua mente, torna-se real. Quando o interior, trabalha de forma harmoniosa e sinérgica com o exterior.
Quando isso não acontece com um ser humano, ele sente-se frustrado e triste.
A felicidade pode ser algo permanente. Tudo dependerá da maneira como você tratá-la e trabalhá-la dentro de você. Se você, por exemplo, vincular a felicidade ao dinheiro, o que acontecerá quando seu saldo estiver negativo? Se você vincula a felicidade ao seu noivo, e apenas a ele, o que acontecerá caso haja o término do relacionamento de vocês? Será que vale realmente a pena, vincular a sua felicidade a algo ou alguém? Por que não trabalhar sua mente, para o contentamento e a gratidão, independente da circunstância que está vivendo?Há quem seja da opinião de que a felicidade está relacionada com os bens materiais e com o dinheiro, daí existirem frases como “O dinheiro não traz felicidade, mas ajuda”, na medida em que o dinheiro é o meio necessário para a satisfação das necessidades materiais humanas; uma vez satisfeitas, o indivíduo tende a ir à procura de produtos que lhe proporcionem maior felicidade. É claro que, os estímulos, serão sempre necessários. Afinal, os momentos, as conquistas, as pessoas… Tudo isso faz parte de sua realidade. Tudo isso, deve deixá-lo contente, satisfeito, feliz.

Você está provando da felicidade?

Dediquei minha manhã de segunda-feira, para criar duas listas, e fazer um comparativo muito honesto entre elas. O exercício me fez tão bem, que resolvi compartilhar com vocês, caso queiram fazer também.

A primeira lista, fui convidada a listar todas as coisas (ou as principais) que me fazem feliz. Já a segunda lista, precisei ser bastante realista, ao colocar as coisas que tenho feito (independente da felicidade que elas têm trazido à minha vida). Ficou mais ou menos assim:

Lista de coisas que te faz feliz:

  • Dançar; em grupo, sozinha, fazendo aulas, ou lecionando.
  • Comer; cozinhar, provar o tempero de minha mãe, cozinar com amigos, e conhecer novas gastronomias.
  • Escrever; seja uma frase para a agência de criação que trabalho, ou um texto enorme para o blog, me deixa muito feliz.
  • Ler; dentro do ônibus, no horário do almoço, durante a madrugada, em todo tempo.
  • Viajar; cidades vizinhas, outros estados, países.
  • Meditar; frequentemente, pela manhã e antes de dormir.
  • Organizar; minha agenda, minha rotina, meu quarto, minha vida.
  • Trabalhos Manuais; artesanatos, desenhos, costuras, etc.
  • Fotografar; de longe, uma de minhas maiores paixões.
  • Compartilhar experiências; seja através de meus textos, aulas, ou rápidas conversas.
  • Colecionar coisas legais; uma das poucas coisas materiais que me atraem.
  • Uma vida equilibrada e saudável; isso me deixa realmente feliz e realizada.
  • Cantar; no chuveiro, com amigos, em áudios no Whatsapp, na rua.
  • Ficar em dia com filmes, séries e seriados.
  • Ser elogiada por algo bom que fiz.
  • Ter as pessoas que amo por perto.
  • Ficar sozinha de vez em quando.
  • Gratidão. 

Lista de coisas que você tem feito:

  • Danço esporadicamente. Dançar, já foi mais que um hobby. Era minha principal fonte de renda, meu trabalho mais importante. Mas, desde que me mudei para Mogi das Cruzes, a realidade mudou um pouco. Tenho sentido uma falta absurda.
  • Comendo muito. Isso é muito verdade! E apesar de estar experimentando novos pratos e temperos, tenho sentido falta de conhecer ainda mais.
  • Escrevendo muito. Em questão de quantidade. Essa é a fase que mais tenho escrito; aqui no blog, em outras mídias, na agência, em meus caderninhos. Realmente, tenho feito isso regularmente.
  • Tenho lido pouquíssimo. Já fui leitora assídua. Só que a preguiça me pegou. Ultimamente, estava lendo apenas textos na internet. Uma vergonha! Estou aplicando um cronograma de leitura em minha rotina. Espero que dê certo.
  • Apesar de estar conhecendo novos lugares, tenho viajado pouco. Este é um de meus maiores sonhos/objetivos/planos de vida. Estar em lugares diferentes, me emociona. Pretendo dedicar mais dinheiro e tempo a isso.
  • Amo a pratica da meditação. E apesar disso, tenho meditado pouco. É impressionante como a meditação melhora minha vida. Percebo que minhas relações ficam muito melhores, quando estou meditando regularmente. Percebo que lido melhore com a vida, quando sigo a prática. E tenho feito muito menos do que fazia no ano passado, por exemplo.
  • Estou super desorganizada. Em todos os aspectos. Preciso melhorar, urgente. Ser desorganizada, me deixa frustrada e triste.
  • Fazem muitos meses que não crio algo. Sinto falta de meus desenhos, minhas bonecas de pano, meus apetrechos todos.
  • Voltei a fotografar. Depois de anos frustrada e tristinha sobre isso, finalmente, voltei. E apesar das dificuldades que tenho enfrentado para me re-adaptar, estou contente.
  • Tenho compartilhado pouco as minhas experiências. Sei que o blog colabora muito com isso. Mas, queria muito criar o canal de uma vez por todas, para poder compartilhar muito mais.
  • Desde que me mudei, minhas coleções estão um caos. Uma pena. Ou não. Talvez, seja a hora de desapegar um pouco. Mas, não posso negar que adquirir um novo sapato, um novo óculos, uma nova caneca, e um novo cartão postal, me deixa estonteante.
  • Minha vida está entrando nos eixos novamente. Preciso melhorar minha saúde, que está meio decadente. Isso me deixa muito triste.
  • Não tenho cantado muito. Sou tímida. Preciso vencer isso.
  • No início do ano, estava super em dia com meus filmes e séries. Voltei para a estaca zero. Estou meio frustrada por isso.
  • Não posso reclamar do não recebimento de elogios. Mas, estou oferecendo pouco. Tenho feito pouco. Sei que posso ser muito melhor do que tenho sido; para amigos, pai, mãe, irmão… Espero melhorar.
  • Desde que mudei para Mogi das Cruzes, não tenho visto as pessoas que amo com frequência. Uma parte desse tempo, foi escolha minha. Porém, a distância não tem colaborado muito com os nossos encontros.
  • Muita gente acha isso estranho, mas estar só, me deixa contente. Consigo meditar, consigo ler, consigo cantar, consigo organizar minhas coisas, consigo refletir sobre assuntos que têm sido recorrentes em meus dias… Gosto muito de estar só, de vez em quando. Diga-se de passagem, que isso é algo que tenho conseguido.
  • Tenho agradecido pouco, reclamado demais. Não gosto disso. Isso é -de longe- uma das coisas mais tristes que tenho a dizer sobre mim. Afinal, sou dessas que acredita piamente de que quanto mais a gente agradece, mais coisas boas acontecem.

Conclusão: Há muitas coisas que me trazem felicidade, e simplesmente, não tenho executado por procrastinação, receio, preguiça, inversão de prioridade. Agora que já sei o que é, pretendo criar estratégias para aplicá-las novamente em minha rotina, e assim, sentir-me cada vez mais contente.

E você? Como ficariam suas duas listas? Que tal montar as suas também? Faça um comparativo entre as duas, e depois disso, tente conciliá-las. Trabalhe sua mente para o contentamento com o seu presente, e acredite que você pode SIM tornar as duas listas, uma só.


ASSINATURA BLOG

Anúncios

Teste Psicológico: O que realmente importa a você?

O que mais importa a voce - teste psicologico - blog ponto da lira

Estava navegando pelo site Incrível (que por sinal, trata-se de um dos sites que mais gosto de navegar durante a semana). E havia um teste psicológico, qual achei super interessante. De primeira, amei a ideia do teste se passar em um bosque (tenho fascínio por bosques). E quando li o significado de cada resposta, achei bastante proveitoso. Por isso, gostaria de compartilhar o teste, juntamente com os meus resultados com cada um de vocês. Espero que gostem.


Antes de continuar, tenha à mão papel e lápis. Depois de ler cada pergunta, escreva imediatamente a resposta. Não permita que seu cérebro analise a resposta. Escreva ou desenhe o que vier primeiro à sua cabeça.

Aqui estão as perguntas.
Desative sua lógica por um momento, já que você precisa estar concentrado no jogo com seu subconsciente.

  1. Imagine que você está com alguém em um bosque. Quem é essa pessoa?
  2. Você anda pelo bosque e vê um animal não muito longe de você. Que animal é esse?
  3. O que acontece quando seu olhar cruza com o do animal?
  4. Você segue caminhando pelo bosque e sai em um campo aberto, e nele está a casa dos seus sonhos. De que tamanho ela é?
  5. A casa possui uma cerca?
  6. Você entra na casa, vai à sala de jantar e olha a mesa principal. Descreva o que você vê a seu redor.
  7. Você sai da casa pela porta dos fundos e vê um copo na grama. De que material ele é feito?
  8. O que você faz ao ver o copo?
  9. Você chega ao fim da área que rodeia a casa. Há ali um curso de água (rio, lago, mar, etc.) Que curso de água é esse?
  10. Como você pensa em atravessá-lo para seguir adiante?

Agora, responda o teste. Só volte aqui para ler minhas respostas, quando as tuas já estiverem respondidas em seu papel.

Minhas respostas imediatas foram:

  1. Minha mãe, Verônica.
  2. Minha gatinha Marrie, quando ela ainda era filhote. 
  3. Uma sensação incrível. Comecei a sorrir. 
  4. A casa é pequena e singela. Parece uma casa de um Hobbit.
  5. A casa possui cerca na porta principal.
  6. Vi uma belíssima mesa posta. Uma louça incrível!
  7. Uma taça de metal, dourada.
  8. O pego e o coloco sobre a mesa, junto as demais louças.
  9. Um lago imenso, muito bonito.
  10. A princípio, uma ponte. Mas sigo de barco, por achar o lago muito grande.

As respostas que você deu às perguntas que nós propusemos revelam seus valores e ideais. Sugerimos que você as analise da seguinte forma:

  • A pessoa com quem você caminha é a mais importante da sua vida.
  • O tamanho do animal que você encontrou é, na verdade, o tamanho dos seus problemas no seu subconsciente. Quanto maior o animal, mais difícil para você é viver.
  • Sua reação diante do encontro com o animal é a sua maneira habitual de resolver seus problemas (agressividade, passividade, fuga).
  • O tamanho da casa que você viu são suas ambições. Se ela é grande demais é possível que tenha expectativas exageradas na vida.
  • Se a casa não tem cerca quer dizer que você é uma pessoa aberta e livre interiormente. Se há cerca em volta da casa, quer dizer que você valoriza seu espaço pessoal mais do que outros, e você espera que as demais pessoas respeitem isso. Quer dizer que você não é daqueles que entram no espaço pessoal de ninguém sem antes pedir permissão.
  • Se na sala de jantar você não viu comida, nem flores e nem pessoas, tudo indica que você é profundamente infeliz.
  • A resistência e a durabilidade do material do qual é feito o copo que você viu representa o quão resistente e durável você acredita que seja a relação com sua família. Por acaso era um copo de plástico ou de papel? De vidro? O mais provável é que você esteja preocupado com o futuro da sua família. Se, em seu subconsciente, o copo era feito de metal ou porcelana, você não tem o que temer.
  • O que você faz com o copo simboliza sua relação com a pessoa da primeira pergunta.
  • O tamanho do curso de água é o tamanho do seu apetite sexual, sua libido.
  • Quanto mais ’molhada’ for a forma escolhida por você para atravessar a água, maior é o significado do sexo na sua vida.

Importante: Você pode repetir o teste após alguns dias. Ele é reflexo de algumas características básicas da sua personalidade, mas também seu estado psíquico-emocional no momento em que você o responde.


Sobre o meu resultado:
Achei o teste bastante preciso e pertinente. Não sei como seria o resultado ontem. Mas hoje, diga-se de passagem, que foi um resultado bastante exato. Gostei bastante!

E o seu, como foi? Conta pra mim aqui nos comentários. Ou me envie um e-mail: pontodalira@gmail.com para conversarmos.

Beijo e queijo!

ASSINATURA BLOG