Profissão: Consultora de beleza

Rapazes que lêem o blog “Ponto da Lira”, peço licença a vocês, para falar diretamente com as mulheres que acompanham este blog. A todo modo, seria o máximo vê-lo interagir conosco. Afinal, todo homem contempla uma mulher bem sucedida e independente, não é mesmo? Então, sinta-se a vontade para ler, opinar, e claro, compartilhar com aquelas mulheres que você tanto ama (mãe, tia, sobrinha, avó, prima, amiga, namorada, noiva, esposa…) e quer vê-las crescer muito! Vamos lá?

Bom dia, minhas queridas leitoras!
Mais uma semana está se iniciando. E o quê você tem planejado para ela? Quais são suas metas e objetivos para essa semana? Ou não há meta e objetivo algum? Não me diga que essa será mais uma semana aonde você fica no mesmo lugar de sempre, sem saber o quê fazer? Vem cá, menina! Vamos conversar.

O papo de hoje, é com você mulher, que acordou determinada a mudar completamente sua história, independente do quê tenha vivido até agora. Com você que está a procura de sucesso profissional, sem precisar passar horas e horas longe de sua família, sem tempo para cuidar de você. Com você, mulher jovem e contemporânea, que ama moda e beleza, e está há muito tempo buscando uma profissão promissora, que trouxesse a você, a independência financeira que você procura e a felicidade que merece. E por fim, com você que talvez, assim como muitas outras mulheres no Brasil e no mundo, esteja completamente desanimada e sem muitas perspectivas sobre o futuro. Seja como for, esse artigo é para todas nós!

Seja você uma das mulheres mencionadas acima ou não, você não está aqui por um acaso. Se você clicou nesse artigo, significa que você tem um desejo dentro de você: Ser uma mulher bem sucedida, usando a beleza e o relacionamento para isso. Ou talvez, esteja aqui por pura curiosidade. Peço que continue nos lendo. O artigo de hoje tem um papel muito importante em sua vida: Convencê-la do quão vencedora e bem sucedida você nasceu para ser.

Fiz algumas pesquisas sobre a profissões femininas que têm feito sucesso, e que têm trazido inúmeros benefícios à vida de uma mulher. E concluí que a profissão “Consultora de beleza”, tem sido uma das maiores profissões femininas dos últimos tempos. Não acredita? Fiz algumas pesquisas. E gostaria de compartilhar com você, cada uma das informações que encontrei.

Consultor de beleza

O consultor de beleza é o profissional responsável por aconselhar o seu cliente e indicar-lhe os melhores tratamentos, técnicas e produtos para que ele possa estar satisfeito com a sua aparência. O consultor de beleza deve conciliar o desejo dos clientes com o que ele acredita que será mais apropriado para o resultado final. O profissional também tem o papel de aplicar as novidades e tendências de moda e beleza propostas pelos grandes estilistas, cabeleireiros e maquiadores no dia-a-dia, de acordo com a personalidade e as particularidades de cada um. O consultor também é responsável por enaltecer a autoestima e o bem estar do cliente, consolidar ou restaurar a imagem que tem de si mesmo.

Especializações possíveis

Em virtude da diversidade existente na área de beleza, o profissional deve ser polivalente. Entretanto, existem cursos das mais diferentes especializações, para os profissionais que desejam se dedicar e se destacar em uma determinada área, dentre os quais: corte, tintura, penteados, automaquiagem, maquiagem para festas, maquiagem para o dia-a-dia, cosmética, tratamentos para a pele etc.. Essa especialização é importante para agregar experiência, visto que nesse segmento, os profissionais mais bem sucedidos são aqueles que já construíram uma carreira sólida ao longo do tempo. Esse tipo de curso geralmente é ministrado em institutos de beleza e casas de cabeleireiros.

Aptidões desejáveis

O consultor de beleza deve ser criativo, observador, sensível e paciente. Deve saber ouvir os desejos dos clientes, mas também precisa saber argumentar o seu ponto de vista. O profissional precisa se preocupar sempre com a sua própria aparência, visto que esse é o objeto do seu trabalho e o que irá chamar a atenção do cliente. Deve estar sempre atualizado e inserido nas tendências.

Campos de atuação

Os consultores de beleza podem prestar consultoria tanto no âmbito privado quanto de modo autônomo. Em empresas, os profissionais podem trabalhar em salões, institutos de beleza, agências de modelo, clínicas de estética ou, ainda, podem ser consultores a domicílio, contratados por empresas de cosméticos que preferem oferecer seus produtos de modo mais próximo ao cliente. O consultor de beleza pode trabalhar com cabelo, coloração, maquiagem e estética. (Fonte: UOL)

Separei dois vídeos a vocês. O primeiro, conta a história de duas mulheres; uma dedica-se em tempo integral a vida profissional como consultora. E a outra, usa a profissão como renda extra. Assista apertando o play:

No segundo vídeo, há a história de duas mulheres guerreiras; uma delas, não teve muitas oportunidades na vida. E hoje, é consultora de beleza de marcas variadas. E a segunda mulher (e exemplo) é Andreia. Uma mulher que abriu mão da profissão de formação, para tornar-se uma consultora de beleza da marca Mary Kay.

Falando em Mary Kay…

A marca tem sido uma das empresas de vendas diretas do ramo da beleza, que mais tem crescido no Brasil. O plano de carreira e lifestyle da marca, tem recebido destaque em diversos eventos do segmento de empreendedorismo feminino e vendas diretas. Mas, por trás dessa grande marca e desse grande sucesso, há uma mulher que você precisa conhecer:

Inspiradora, não é mesmo?

Já sei! Ficou motivada a iniciar seu negócio, não é mesmo? Que tal tornar-se uma Consultora Mary Kay? No próximo artigo, você terá a oportunidade de conhecer a minha consultora, Késia Chaves. A Késia irá responder perguntas feitas por vocês, para sanar todas as dúvidas com relação a profissão de consultora de beleza da marca Mary Kay. Além disso, fique com os olhinhos colados aqui no blog, pois teremos uma série enorme de artigos relacionados ao empreendedorismo e carreira feminina.


Deseja fazer parte dessa grande empresa?
Fale com a minha consultora-diretora de vendas da Mary Kay:
(37) 9961-0172 – Késia Chaves


Gostou desse artigo? Compartilhe Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira


 

Netfontes_ail_et_fines_herbes_Logo-1

 

 

Contato profissional: Contato@pontodalira.com.br

 

Inspiração do dia | Flores

Primavera:
substantivo feminino
  1. 1.
    estação temperada e amena, entre o inverno e o verão [No hemisfério sul, estende-se do equinócio de setembro (22) ao solstício de dezembro (20); no hemisfério norte, do equinócio de março (21) ao solstício de junho (20).].
  2. 2.
    fig. tempo primordial; aurora.
    “animais que existiram na p. do mundo”

“Minha doce menina, escrevo-lhe este bilhete para desejar-lhe um tanto de amor e paz neste coração tão seu (e tão meu). Tenho repousado meus olhos sobre ti, e enxergo-te murcha. Minha doce menina, aquieta-te. Acalma-te. Escrevo-lhe para desejar-lhe tranquilidade e calmaria. Escrevo-lhe para que te lembres de quem tu és, e jamais te esqueças de quem sou. Minha doce menina, tu és esperada e amada como a Primavera. Sorrio só de imaginar que em algum momento, vais vir. Tens o brilho do sol e da lua em ti. Fostes criada com tanto amor. Por quê não compreendes? Por quê tu não vês que fostes criada e movida, pelas mãos de quem rege o universo? Minha doce menina, venha depressa, volte-se a mim. Fique aqui: bem perto de mim. Minha doce menina, escuta-me: Espero-te. Venha, pois quero fazer-lhe desabrochar em felicidade. Venha! Pois, ainda que estejas murcha, florescerás. Flores-será.
(Flores-será, Thaís Lira)


Gostou desse artigo? Compartilhe Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira


 

Netfontes_ail_et_fines_herbes_Logo-1

 

 

Contato profissional: Contato@pontodalira.com.br

10 frases de “O pequeno príncipe” | Antoine de Saint-Exupéry

 

Não sei dizer quando foi a primeira vez que li “O pequeno príncipe” de Antoine de Saint-Exupéry. O quê sei, é que este foi um dos primeiros livros que li em minha infância assim que aprendi a ler “de verdade”. Junto com essa obra, vale mencionar o livro “Primeiro amor de Laurinha” e “Uma professora muito maluquinha” quais marcaram minha infância (e prometo falar sobre ambos aqui no blog). O tempo foi passando, e fui deixando essas coisas “de lado”. “Eu era grande demais pra ler livros como este”. Mas, quando a gente cresce de verdade, a gente descobre a importância de ser pequeno. Se é que me entendem. 

Lembro-me que li “O pequeno príncipe” (depois de uma longa pausa da infância para a fase adulta). Foi em 2010. Me lembro muito bem disso, pois o encontrei jogado em uma caixa de coisas velhas. Comecei a folhear. Confesso que não me lembrava mais do quê se tratava a obra. E pensei: “Olha! Um livro de quando eu era pequena! Vou ler.” Assim fiz. Li. E lembro-me como se fosse hoje, que este pequeno livro, me arrancou grandes sorrisos, muitas lágrimas e reflexões profundas. Foi o livro infantil mais adulto que li em toda a minha vida. E, não sei se já comentei com vocês, que: sou o tipo de humano que cria rituais. Na verdade, eu e meu irmão mais velho (o Bruno) somos assim; se fazemos algo hoje, que de algum modo foi bom, provavelmente, faremos amanhã novamente. Deste modo, li o livro todos os dias, desde que o encontrei. Fiz isso até memorizá-lo. Depois desse período devorando-o, busquei outras alternativas para manter minha relação com o principezinho; outras versões, biografia do autor, bonequinhos inspirados, série, filme, e até mesmo o livro em audio. Foi a partir de “Le Petit Prince”, que eu comecei a estudar Francês. Assim, me descobri admiradora de “O pequeno príncipe”.

No começo, eu não fazia ideia da força que essa obra tinha no mundo inteiro. Pra mim, eu era uma das poucas que conhecia. Na verdade, o mundo inteiro conhecia, menos eu.  

antoine-de-saint-exupery

Quando li a história do autor, fiquei ainda mais deslumbrada com o enredo, pois enxerguei o autor entrelinhas. Na primeira biografia que li, descobri que as ilustrações aquareladas do livro original, foram feitas pelo próprio autor da obra. E o mais interessante, é que na obra, o aviador que narra a história, conta que era um pintor frustrado.  Antoine de Saint-Exupéry é um autor importantíssimo para a literatura francesa, especialmente no século 20. E o mundo o conhece, talvez, não pelo nome, mas por frases como: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos” e “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. A sutileza, doçura e toda a poesia da obra, chamam a minha atenção, pois Antoine Saint-Exupéry a escreveu durante o exílio nos Estados Unidos, quando a França assinou em 1940, o armistício. Fico pensando: “Como ele conseguiu extrair uma obra tão delicada e doce, em um período tão conturbado? Sem dúvidas, Saint-Exupéry era especial”. Mas, o quê mais me impressiona em sua história, além de sua infância, suas vitórias e conquistas em vida, são os mistérios acerca de sua morte. 

Saint-exupéry, desde muito pequeno, mantinha o sonho de ser um aviador (mais uma coisa em comum com o livro). Ele tinha um deslumbre incomum por mecânica, mas, por questões financeiras, só pôde realizar isso depois de tornar-se um homem. Saint-exupéry, diferente do que muitas pessoas pensam, não foi “apenas” um brilhante autor (o quê já o tornaria ilustre). Ele encarou uma missão de resgate no deserto do Saara (mais uma coisa em comum com o enredo), fez marcas de recordes de voo em vários lugares do mundo, e nunca deixou de pilotar. Nunca mesmo. Para Saint-exupéry, a quietude e solitude eram maneiras de refletir sobre si mesmo e sobre o mundo a sua volta (isso é tão eu, que nem sei como escrever de modo diferente). Então, no dia 31 de Julho de 1944, Saint-Exupéry sumiu em um vôo (em seu Lockheed P-38) sobre o oceano, aonde saia de Córsega para uma missão em Paris. De 1944 até 2004, sabia-se absolutamente nada sobre a morte de Saint-Exupéry – até que foram encontrados destroços do avião de Saint-exupéry naquele mesmo ano. E mesmo havendo encontrado vestígio de um corpo, não sabem dizer até hoje, se o corpo encontrado pertencia ao aviador. O responsável pela queda do P-38, foi o alemão Horst Rippert, qual assumiu ter atirado no avião, provocando sua queda. Parece fábula, não é? 

Ao perguntarem a ele como gostaria de morrer, Saint-exupéry respondeu: “No mar, como se dormisse. Como um sonho.”

Ele desapareceu do planeta. Exatamente como o seu personagem.

As obras de Saint-Exupéry são:

L’Aviateur (O aviador) – 1926
Courrier sud (Correio do Sul) – 1929
Vol de nuit (Voo Noturno) – 1931
Terre des hommes (Terra dos Homens) – 1939
Pilote de guerre (Piloto de Guerra) – 1942
Le Petit Prince (O Pequeno Príncipe (título no Brasil) ou O Principezinho (título em Portugal)) – 1943
Lettre à un otage (Carta a um refém) – 1943/1944
Citadelle (Cidadela) — póstuma, 1948


Escolhi 10 frases quais mais gosto do livro “O pequeno príncipe”, e resolvi compartilhar com vocês. Espero que gostem.

  1. “… Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três começarei a ser feliz”
  2. “… Quando a gente anda sempre para frente, não pode mesmo ir longe”
  3. “… Só as crianças sabem o quê procuram”
  4. “… é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas”
  5. “… Mas eu era jovem demais para saber amar”
  6. “… Trata de ser feliz. Eu te amo. Sim, eu te amo!”
  7. “…Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim, único no mundo. E eu serei para ti, única no mundo”
  8. “… A gente só conhece bem, as coisas que cativou”
  9. “… Os olhos são cegos, é preciso buscar com o coração”
  10. “… A gente corre o risco de chorar um pouco, quando se deixou cativar”

E claro, as clássicas: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos” e “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”.

Separei algumas imagens muito inspiradoras.
Se você ainda não leu a obra, fica o meu convite. ❤

Este slideshow necessita de JavaScript.


Gostou desse artigo? Compartilhe ❤ Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira


 

Netfontes_ail_et_fines_herbes_Logo-1

 

 

Contato profissional: Contato@pontodalira.com.br

Semeando sonhos

A vida é uma terra fértil, onde todas as sementes que atirarmos sobre ela, germinarão e florescerão. Isso é um fato. A escolha de semear – seja o quê for – ou de não semear, é nossa. Nos pertence. Temos essa liberdade. Liberdade de escolher. E das muitas sementes que tenho “em mãos” para semear; escolhi semear sonhos. Passei a minha vida inteira, semeando sonhos. E cá estou eu, sendo privilegiada com a oportunidade de realizar cada um deles. Um a um. Um de cada vez. Sem medo, sem pressa. Certa de quê “o quê for pra ser, vai ser” e “o quê tiver que acontecer, vai acontecer”. De verdade. Cá estou eu, seguindo o meu caminho, respeitando a sincronicidade como as coisas acontecem aqui na terra, e em todo o universo. Cá estou eu, me harmonizando com o TUDO e com o TODO. Cá estou eu, em paz; respeitando o tempo de “El Rói”. Entendendo e compreendendo que Ele rege tudo, e contempla todas as coisas. E que deixar tudo em Suas mãos, também é uma escolha. E foi isso que eu escolhi. Escolhi confiar, semear, esperar e receber. Acreditando que mesmo diante de cada uma das minhas vulnerabilidades, Ele continua sendo Senhor. Ele nunca falhou, e nunca irá falhar. E que os planos que Ele tem para mim, são infinitamente mais brilhantes do quê cada um desses, quais eu mesma rascunhei. Cá estou eu, esperando pelo Senhor do tempo, que é especialista em realizar tudo em Seu tempo. O Senhor que vence minhas antecipações, minhas ansiedades, minhas desistências, meu desespero, meus deslizes… O Senhor que me controla, me ensina, me acalma, me faz compreender… E me prepara para receber e realizar todos os meus pequenos e grandes sonhos, e – muito mais que isso – me prepara para viver estes planos perfeitos quais Ele tem, e que são bem melhores e maiores que os meus. Cá estou estou, vivendo e esperando o tempo certo de tudo. Cá estou eu, recebendo de coração aberto, cada uma das bençãos que Ele reservou para mim. Cá estou eu, bem viva, e – inteiramente – pronta para viver exatamente tudo o quê nasci pra viver. Mais uma vez: Confio, semeio, espero e recebo!

“Os olhos de Deus estão sobre os caminhos dos homens,
e Ele contempla todos os seus passos.”
(Jó 34:21)

Por Thaís Lira


 

Gostou desse artigo? Compartilhe ❤ Não se esqueça de deixar seu feedback. Caso queira fazer isso, deixe seu comentário aqui no blog, ou envie um e-mail para: pontodalira@gmail.com 

Facebook: http://www.facebook.com/blogdalira/
Instagram: http://www.instagram.com/pontodalira/
Twitter: http://www.twitter.com/pontodalira

Fracassei, e agora?

Por Thais Lira

fracassar

Devo confessar que: não desisto facilmente das coisas. Sempre foi uma característica que faz parte de mim. Quando era um pouco mais nova (e enxergava as coisas de um jeito um pouco mais fácil), sempre dizia que “se eu quiser alguma coisa, eu conseguirei”; pois faria o que fosse preciso para que essa “coisa” acontecesse. Sempre quis ultrapassar meus próprios limites. Nunca fui de me impor limites. E nunca deixei que colocassem limites em mim. “Eu vou até o fim!”, era minha frase predileta. Acontece que as circunstancias da vida, acabam mudando a gente por inteiro. A gente acaba aprendendo a respeitar nossos próprios limites. Foi exatamente o que aconteceu comigo. Acabei me curvando. Compreendi e aprendi que algumas vezes, “o fim” nem sempre significa que chegamos ao topo, que conseguimos o que queríamos, que estamos no alto, que conquistamos, que vencemos… Bom seria se vencêssemos e estivéssemos no topo sempre. Mas não é assim que as coisas funcionam. A grande verdade, é que em alguns momentos da vida (por mais persistentes e insistentes que sejamos), “o fim” não sera aquele “fim promissor”, qual a gente espera. Sera o fim, de fato. Muitas vezes, iremos falhar. Iremos fracassar. Estaremos curvados, com a cara no chão. Mas, não devemos nos render a nos mesmos. Precisamos absorver o ensinamento que os “lugares baixos” nos trazem. Um desses ensinamentos, eu aprendi. Aprendi que as pessoas que tentam fazer alguma coisa, e acabam falhando e fracassando, não devem sentir-se inferiores aos que conseguiram. Conseguir, vencer, chegar aonde queremos, é – e sempre sera – algo bom. Mas, a tentativa é algo fundamental na vida do ser humano. O ponto mais alto, mais promissor na vida do ser humano, não é quando ele tenta e chega ao topo. E sim quando ele fracassa, e tenta novamente, depois disso. As pessoas que tentam e falham, são infinitamente melhores do que aqueles que simplesmente não tentam.

o-fracasso

 


Gostou desse artigo? Compartilhe com os seus amigos. Essa foi sua sua primeira visita ao blog? Junte-se a mim, tornando-se um seguidor e acompanhe as novidades publicadas por aqui, em seu e-mail. Ou, você pode curtir a fanpage do blog e acompanhar tudo por la, tambem: http://www.facebook.com/blogdalira para outros assuntos: pontodalira@gmail.com 

 

Cinemalogia: “A teoria de tudo” | The Theory of everything

Por Thais Liraa-teoria-de-tudoFazem alguns meses (?) que não falo sobre cinema aqui no blog. Creio eu, que o ultimo filme qual fiz resenha, foi “Malévola”, ou “Jogos Vorazes”, ou talvez, o artigo mais recente sobre cinema, tenha sido “10 coisas que aprendi assistindo Frozen”… Seja como for, faz tempo que não falo sobre filmes quais andei assistindo por aqui. Acho que esta mais do que na hora de trazer algo novo sobre isso. 

A escolha de hoje, devo admitir: muito boa. Inclusive, atrevo-me a dizer que este é um dos melhores filmes que assisti em 2015 mesmo estando na metade do ano. Um filme que favoritei, e que pretendo assistir muitas vezes  (ate enjoar, de preferencia). 

“The theory of everything” foi uma das obras cinematográficas premiadas no Oscar 2015. E não é pra menos; o filme é impecável. Uma verdadeira obra de arte. A fotografia, trilhas sonoras, figurinos, maquiagens, cenários, diálogos, e – principalmente – claro, as atuacoes: Impecáveis. Se fosse para falar negativamente sobre o filme, confesso que nao saberia fazer isso.The-Theory-of-Everything-Poster-2O filme conta a belíssima historia de Jane Wilde (interpretada por Felicity Jones) e do astrofísico Stephen Hawking (interpretado por Eddie Redmayne). Bom, acredito eu que muitas pessoas do mundo, sabem muito bem quem é Stephen Howking. Em contrapartida, reconheco que existam muitas pessoas que ainda não sabem quem é ele; por isso, resolvi facilitar as coisas, expondo aqui no blog, uma pequeníssima biografia sobre o grande Stephen Hawking:

Stephen William Hawking (nasceu em Oxford, no dia 8 de janeiro de 1942) é um físico teórico e cosmólogo britânico e um dos mais consagrados cientistas da atualidade. Doutor em cosmologia, foi professor lucasiano de matemática na Universidade de Cambridge, onde hoje encontra-se como professor lucasiano emérito, um posto que foi ocupado por Isaac Newton, Paul Dirac e Charles Babbage. Atualmente, é diretor de pesquisa do Departamento de Matemática Aplicada e Física Teórica (DAMTP) e fundador do Centro de Cosmologia Teórica (CTC) da Universidade de Cambridge.

Prontinho. Agora que sabemos de quem se trata, podemos dar continuidade ao nosso bate-papo sobre o filme. 

Jane e Stephen se conhecem na faculdade; ele estudava exatas, e ela, humanas. Stephen era um jovem ateu chamado de estranho por seus colegas de classe. Ainda assim, tinha a admiração de seus professores por sua inteligência. E conquistou o coração de Jane, com suas filosofias e teorias sobre a vida. Jane, estudava arte. Gostava de cantar, e acreditava que Deus era o grande criador do universo. Ganhou o coração de Stephen pela forma doce como agia e enxergava o mundo a sua volta. Ambos, sentiam-se completos quando estavam juntos. Eles se apaixonaram.

Entao, aos 21 anos de idade, Stephen descobre que é portador de uma rara doença degenerativa, conhecida como “ELA” (Esclerose Lateral Amiotrofica), que paralisa os músculos de todo o corpo, sem atingir o cérebro. Porem, essa perda de movimentos começa a acontecer gradualmente. Stephen resolve se afastar completamente de Jane, pois o medico deu para ele apenas dois anos de vida. E para que ele nao a fizesse sofrer, preferiu se esquivar, escondendo a verdade de sua amada.

Acontece que os amigos de Stephen resolvem por bem, contar toda a verdade para Jane. Jane, por sua vez, vai ate Stephen, e manifesta seu amor e interesse em ficar com ele pelo tempo que fosse, pois o amava verdadeiramente.The-Theory-of-Everything-OFFICIAL-POSTER-BANNER-08AGOSTO2014-02Aceitando a condição de que Stephen viveria pouquíssimo tempo, Jane, demonstra sua resiliencia e toma a decisão de casar-se com Stephen. Pouco tempo depois, o casal tem seu primeiro herdeiro com Jane. Nessa altura, Stephen já tem grande dificuldade em sua fala, e precisa de ajuda para alimentar-se e movimentar-se. 

Stephen acaba vivendo muito mais do que os médicos previam; tem seu segundo filho com Jane, e o terceiro. No total, sao cerca de 25 anos ao lado de Jane. Porem, os últimos anos ao lado de Jane, foram ainda mais difíceis e nao tao doces quanto os primeiros; de um lado, Jane apaixona-se por outro homem. E Stephen, por outra mulher. Mesmo diante de uma vida inteira juntos, eles resolvem continuar suas vidas separados, mas, amando e respeitando um ao outro para sempre. 

O filme inteiro, tem base no livro de Jane Wilde, chamado: “Travelling to Infinity: My Life with Stephen”. O grande foco da obra, é o romance por trás da física e ciência. Ousaria dizer que o amor é a verdadeira teoria de tudo na trama. Uma filme maravilhoso, de uma historia grandiosa! The-Theory-of-Everything-Official-Poster-Banner-PROMO-08SETEMBRO2014-04-4Stephen tem 73 anos, e continua atuando em sua área. Ele já foi premiado inúmeras vezes, já escreveu vários livros, e sua historia é contada por diversos artistas tanto em livros, quanto em filmes e documentários. Se você esta procurando saber um pouco mais sobre o lado profissional de Stephen Hawking, com certeza vai encontrar bastante coisa navegando na internet. Lembre-se que este nao é o principal foco do filme. 

Bisousinhos ❤


 

Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com
Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com

Lista: 10 destinos incríveis |Se eu pudesse, faria check-in agora!

Por Thais Lira

Bonjour! Como vai? Espero que esteja tudo em paz.

Sei que nossa passagem pela terra é breve. Mas eu sonho muito alto. E pretendo conhecer muitos lugares do mundo. Pretendo fazer varias listas como essa. Espero que gostem. Foi difícil escolher os dez primeiros que mencionaria no artigo, mas, acho que se hoje me dessem dinheiro e direito de escolher meus destinos… Seriam estes:

1. Catedral de Sao Basilio, na Russia

 

a-catedral-de-sao-basilio

 

Eu adicionei a Russia em minha lista de destinos, ha pouquíssimo tempo. Não havia parado para pensar que este poderia ser um destino sensacional. Mas, conhecendo um pouco da historia, e fazendo algumas pesquisas sobre o local, creio que valha a pena carimbar o passaporte. Não me lembro de alguém do meu convívio que tenha ido ate a Russia, especialmente Moscou. Ainda assim, o lugar me parece ser encantador; a catedral de São Basilio, por exemplo, é de tirar o fôlego. Sempre que vejo fotos dela, eu fico imaginando que esse lugar foi feito de algum tipo de doce. Da vontade de comer.  

 

2. Taj Mahal, na Índia

taj-mahal11

 

Tenho alguns amigos que estiveram na Índia. Todos eles voltaram deslumbrados. Eu passei a desejar conhecer a Índia, quando comecei a estudar um pouco mais sobre Yoga. Fiz varias pesquisas sobre a Índia; os destinos que deixam o pessoal de queixo caído, são vários. Dentre eles, a palácio Taj Mahal, cidade de Varanasi, Rishikesh, dentre outros lugares mundialmente conhecidos por sua beleza única. Eu – realmente – pretendo conhecer a Índia. Espero que eu viva o suficiente para realizar esse desejo. 

3. O Paternon de Atenas, na Grécia

O_Partenon_de_Atenas

 

Acredito que de todos os lugares que irei mencionar nessa lista, a Grécia seja um dos destinos mais interessantes e, talvez, menos procurados. Uma vez, comentei com uma colega sobre o desejo que tinha de conhecer a Grécia. Ela virou para mim e disse: “Qual a graça da Grécia?Aquele monte de templos destruídos? Ou aquelas estatuas de gente pelada?”. Sim, amiguinha! Sim! A Grécia tem uma historia riquíssima. E cada uma dessas construções, contam essa historia. Deve ser emocionante conhecer a Acrópole de Atenas, as estatuas gregas, e também, Santorini, Mykonos, Oia, Thira… 

4. Grand Canyon, em Arizona no Estados Unidos

6925740-grand-canyon-arizona

Amigos, se um dia eu pisar neste lugar… Acho que vou me decompor em lagrimas. Eu nem consigo descrever o que sinto quando vejo as imagens… Imagine estando la? Deve ser uma sensação inexplicável. E veja bem, essa é apenas UMA das dezenas de fotos que encontrei na internet. Cada foto, me deixa ainda mais apaixonada. Sem duvidas, este deve ser o lugar mais bonito do Estados Unidos. E eu quero conhecer!

5. Pirâmides de Gize, no Egito

zonsondergang bij de piramides

 

Certa vez, me envolvi em um projeto cultural na escola, onde acabei adquirindo um conhecimento bem amplo sobre a dança experimental. E me lembro perfeitamente, que durante todos os estudos que fazíamos, o Egito sempre esteve conosco – em todas as pesquisas. O que, naturalmente, despertou em mim uma curiosidade que perdura desde o inicio de minha adolescência. A arquitetura das cidades do Egito, a cultura, o deserto, o misterio por trás de cada Pirâmide… Puxa! Seria incrível conhecer esse lugar. 

6. Deserto do Atacama, no Chile.

atacamaaa

 

Minha amiga e irma, Mirella, esteve no Chile. Ele tem familiares por toda parte do Chile. Mas, nunca esteve no deserto do Atacama (um absurdo, gente! Eu sei. Eu sei). Pretendo viajar para o Chile em breve. Estou apenas esperando meus melhores amigos pararem de me enrolar (Bruno Farias e Mirella #FicaDica). De todos os destinos expostos hoje, esse é o mais próximo ao Brasil. E com certeza, um dos cenários naturais mais bonitos do mundo.

7. Istambul, na Turquia.

istambul

Acho que nesse artigo. ficou bem evidente o quanto gosto de templos, monumentos, mesquitas e obras arquitetonicas que de algum modo, remetem a um período histórico na humanidade. A mesquita Sultanahmet (mais conhecida como “Mesquita Azul”) em Istambul, é uma das mesquitas mais bonitas de la. Alem dela, tem a mesquita Suleymaniye, a Rustem Pasa, dentre outras mesquitas lindas. E a entrada é gratuita em – praticamente – todas elas. Isso me fez lembrar o amigo muçulmano que conheci ha poucos dias. Contei a historia aqui no blog, você leu? 

9. Torre Eiffel, na França 

Torre-Eiffel-Paris-França

 

Seria bem estranho se a França nao estivesse em minha lista, ne? A França me remete muitas coisas que amo, e pessoas que amo. Sempre que falo sobre a França, lembro do Rehbaim, que carinhosamente me chama de “Francesinha”. Lembro do meu filme predileto “O fabuloso destino de Amelie Poulain”, que me faz lembrar das belas trilhas sonoras de Yann Tiersen. Lembro também do filme que tanto gosto, “Midnight in Paris”, que me faz lembrar do livro que li varias vezes, chamado “A Romana”. Me faz lembrar de minha amiga De, que toca piano como ninguém, e disse que lembrou-se de mim quando viu varias francesas de coque. Me faz lembrar de minha tia Shirley, que esteve na França, mas preferiu Londres. E principalmente: Me faz lembrar o meu melhor amigo francês; Thomas. Temos uma amizade que – literalmente – ultrapassa fronteiras; conversamos sempre, enviamos imagens do nosso cotidiano um para o outro… Amo te-lo conhecido. Ele vive em Paris, e tem um respeito e amor muito grande por sua cidade. Em contrapartida, tenho familiares e amigos que estiveram na França e nao gostaram tanto assim. Acho que vai muito de perspectiva, e depende muito da expectativa. Em resumo, muita gente pensa que já estive na França; mas nunca estive. Eu amo a cultura francesa; musicalidade, cinema, moda, gastronomia, idioma, paisagens… E amo os franceses!  Acho que estar sob o céu de Paris vai ser uma experiência muito especial para mim.

10. Jerusalem, em Israel

Jerusalem-Terra-Santa-Domo-da-Rocha-e-Igrejas-turismo-religioso

 

Esse é o lugar que eu mais quero conhecer no mundo inteiro. Nao pela beleza, nem pelos belos templos, ou coisa do tipo. Existe um amor dentro de mim por Israel, que chega a arder no meu interior. Eu nem sei explicar ao certo o quanto almejo conhecer esse lugar. Eu cresci ouvindo historias maravilhosas que se passaram nestes cenários. Meu maior mentor, meu mestre, cresceu e viveu nessas ruas. E o maior (no sentido de gloria) e mais vendido livro do mundo inteiro, começou a ser escrito nessas bandas. Toda a minha raiz, parte de Israel. E eu nem sei mais o que falar… rs


 

E ai? O que acharam de minha primeira lista? Ha algum lugar da lista, qual vocês também gostariam de conhecer? Conta pra mim. Ficarei muito feliz em saber. Enviei suas historias ao meu e-mail: pontodalira@gmail.com


 

Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com
Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com

Expansão de consciência: A conversa que tive com um muçulmano

Por Thais Lira

Bonjour! Como vai? Tudo em paz por ai? Espero que sim. ❤

Thinking

Sempre digo por aqui, que gosto muito dos encontros que a vida me promove. Gosto muito de ver um lado bom em cada canto da vida. E quanto mais observo, mais absorvo. E quanto mais absorvo, mais aprendo. E quando aprendo, cresço. Hoje foi um desses dias que se pudesse repetir, eu repetiria.

Indo ao trabalho, conheci um senhor muçulmano.

Observação: Nessa vida, conheci pessoas de varias religiões; espiritas, mormons, testemunhas de Jeová, católicos romanos, anglicanos, carismáticos, adventistas, budistas, presbiterianos, metodistas, judeus, dentre outras dezenas de religiões. E o mais interessante de te-los encontrado pelos caminhos quais trilhei, foi que – independente do credo – aprendi pelo menos uma coisa com cada um deles. E hoje, tive a oportunidade de conversar com um muçulmano pela primeira vez. Foi algo realmente novo, e por isso, resolvi compartilhar a minha experiência com vocês.

Este senhor e eu, ficamos conversando por quase uma hora (ou mais, talvez); falamos sobre vários assuntos. E nos aplicamos em falar sobre a importância da arte na vida do ser humano (tudo a partir da pergunta que ele me fez: “Você trabalha com o que?”). Contei a maneira como costumo trabalhar; usando a arte para levar os alunos ao auto-conhecimento e a se conectarem com o Criador. E ele demonstrou-se muito compreensivo e interessado diante da minha resposta. Ele complementou: “Olha menina… Em minha religião, não temos grupos de coreografia, ou bandas, como existe hoje em varias igrejas. Mas eu gosto muito da arte. Eu sinto que a arte tem o poder de unir o homem ao Deus criador”. Aquela frase me abraçou. E então – curiosa como sou -, perguntei: “Qual é sua religião?”. Ele respondeu: “Sou muçulmano!”. Eu demonstrei muito interesse em saber mais sobre a religião dele. O que o deixou muito feliz. Os seus olhos brilhavam ao falar sobre suas crenças e sobre a maneira como via sua própria vida e a vida como um todo. Sua ideias, hora se uniam as minhas, hora não tinham absolutamente nada a ver com o que eu cria. Mas, me mantive calada, apenas ouvindo. Era minha hora de aprender um pouco mais da vida. E depois de falar bastante sobre sua crença e sua vida como muçulmano, ele virou para mim e disse: “Menina, eu não sei qual é sua religião… Mas, imagino que não sejamos da mesma religião. Mesmo assim, eu sinto que você é uma pessoa que esta conectada com Deus”. Eu confesso: Me emocionei de verdade. E ele continuou: “Sou muçulmano desde menino. E sempre que dizia isso para pessoas de outras religiões, era excluso. Em minha adolescência, minhas ideias e forma de pensar, não importavam para pessoas de religião diferente da minha. Muitas pessoas se afastavam de mim, so porque eu dizia que pertencia a religião islâmica. Hoje estou velho, e sempre que vou falar sobre a maneira como vejo a vida e o Deus criador, continuo sendo duramente criticado, ou me meto em um super debate religioso. O que acaba me cansando e me entristecendo um pouco. São raras as pessoas como você, que mesmo crendo de forma diferente, ouvem e demonstram respeito, sobretudo.” O interrompi e disse: “Quando eu disse ao senhor que era instrutora de dança e teatro, e que trabalhava com muitos cristãos, o senhor ouviu e me respeitou. Eu apenas resolvi retribuir o respeito”. Enquanto conversávamos, ele segurava um livrinho verde em suas mãos. Então, meus alunos chegaram. Foi quando ele ofereceu o livro para mim, dizendo: “Esse livro é muito importante para mim. E essa conversa me ensinou muito. Por isso, gostaria de da-lo de presente para você. Você pode ler, ou não. Mas, quero que sempre que olhar pra ele, lembre-se dessa conversa. E veja o meu muito obrigado! Em minha religião, temos um cumprimento; “assalamu alaikum”, que significa: “Que você permaneça livre da dor, do sofrimento e do mal”. Ele deu um sorriso largo. Então, quando ele se ia se virando para ir embora, eu disse: “E eu? Como eu respondo ao senhor?”, ele sorriu e disse: “Walaikum as salaam”, que significa “e a paz fique com você”.

A saudação não é apenas um sinal de paz, é uma indicação que a outra pessoa tem boas intenções e não deseja mal para quem quer que seja. É, também, parte de um ritual religioso muito maior praticado por muçulmanos diariamente.

Foi assim que o Criador do universo resolveu me ensinar no dia de hoje. Usando a frase do físico Albert Einstein:

“A mente que se abre para novas ideias, jamais retorna ao seu tamanho original”.

Gratidão por me ler. Tenha certeza que é uma grande honra te-lo aqui comigo. Voce ja conhece a pagina do blog no Facebook? Clique aqui e seja direcionado. Também estou no Instagram e Twitter como @Pontodalira Caso queira falar comigo por e-mail: pontodalira@gmail.com


Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com
Quer anunciar aqui? Envie um sua proposta para: pontodalira@gmail.com

Gratidão | Sobre o novo endereço, e leitores inteligentes

Por Thais Lira

Estou muito feliz com a direção que o blog tem tomado. Agora somos quase 3 mil almas conectadas. Estou muito grata e feliz. Não falo apenas sobre ter ultrapassado a marca de 2 mil leitores, e sobre estar chegando ao numero 3. A quantidade, nunca me atraiu tanto. Claro que é otimo abrir o blog e ver a cada dia, novos seguidores. Mas, sinto-me ainda mais feliz, por saber a qualidade dos meus novos amigos e leitores. Nos últimos meses, tenho recebido comentários tao bem construídos aqui no blog… Sinto que sao pessoas que realmente passam por aqui, para compartilhar um pouco do que carregam dentro de si mesmas. As historias incríveis que tenho lido por comentários e e-mails, as opiniões sempre verdadeiras e bem construídas, as maneiras de enxergar a vida…  Tenho aprendido tanto com vocês! Hoje, fiquei muito emocionada com um feedback que recebi. Estou passando aqui, na verdade, para deixar minha gratidão! Ainda sou uma menina, e tenho uma vida longa pela frente. Nem sei se estou pronta para ser elogiada ou criticada como tenho sido. Mas todo essa contribuição inteligente, tem sido fundamental para o meu crescimento como pessoa. E isso me importa muito! Aproveito e agradeço meu irmao Bruno Cesar, que tem sido meu técnico desde sempre. Ele me ofereceu uma grande contribuição ao tornar o blog “.com.br”, finalmente. Sou abençoada por ter todo esse amparo! Gratidão, gratidão e gratidão! ❤

aprendi-que-shakeaspesre

 


 

Update | Salve em seus favoritos o novo endereco do blog: http://www.pontodalira.com.br

The Capsula Mundi | Capsulas Orgânicas que transformam falecidos em árvores

Por Thaís Lira

awebic-caixao-organico-1

Estava lendo a matéria criada pelo awebic sobre o projeto italiano “The Capsula Mundi”.  E pouco satisfeita, fui pesquisar um pouco mais sobre o assunto, vez que despertou enorme curiosidade. Entrei no site do projeto, e li o máximo que pude. Conhecer um pouco mais sobre o projeto, me abriu um leque de questionamentos. Mas, acabei chegando em uma conclusão qual espero poder compartilhar com vocês ao longo desse artigo.

Por mais fascinante e simples que pareça a idéia de transformar pessoas falecidas em árvores, quando paramos e pensamos, não fica tão simples assim.

Mas antes de dar minhas opiniões e abrir esse espaço para possíveis discussões, vou explicar melhor do que se trata o projeto.

Os autores do projeto são designers, e se chamam Anna Citelli e Raoul Bretzel. O projeto consiste em resgatar a relação do homem com a natureza. A proposto do casal, é transformar cemitérios em florestas sagradas. Para que conseguissem fazer isso, eles criaram a Capsula Mundi, que tem o formato de um ovo. Esse ovo, seria o caixão. A grande diferença da Capsula para o caixão tradicional, é a matéria-prima. Invés de madeira (que como sabemos, é extraída das árvores, provocando desmatamento), usam um amido, que é feito a partir de sazonais e biodegradável. Sendo biodegradável, pode transformar o corpo em decomposição em nutrientes àquela árvore.

awebic-caixao-organico-3

O ponto-chave do projeto:

Como a proposta do casal é unificar os homens a mãe-natureza, para que o projeto faça maior sentido, os idealizadores propõem que a pessoa escolha sua árvore e cuide dela em vida. E quando essa pessoa vier a falecer, ela será colocada em posição fetal dentro da capsula, e enterrada. Em cima dessa capsula, será plantada sua própria árvore. Mais ou menos assim, ó:

awebic-caixao-organico-2

Ou seja: Invés de túmulos e toda aquela mórbida aparência de cemitérios, haverão árvores de vários tipos. A árvore continuará sendo cuidado pelos familiares da pessoa que fora enterrada bem ali.

Eu tentei encontrar um vídeo em Português que tenha uma explicação bem clara sobre o projeto, mas ainda não encontrei. Entretanto, achei um vídeo bem dinâmico em Espanhol, que dá pra entender bastante sobre o projeto. Espero que façam matérias em Português, bem mais elaboradas e explicativas. Prometo compartilhar com vocês por aqui, ou nas redes sociais.

Olha o que os idealizadores dizem sobre o projeto:

“Death is a mysterious, delicate and inevitable step. The dead cannot be just a technical problem, it cannot be treated as a taboo. Regardless of the religion and culture we belong to, death is a biological phenomenon, it’s the same thing for everyone. No designer ever thinks of a coffin but this becomes a way of reflecting on how distant we are from mother nature.”

“Os mortos não podem ser apenas um problema técnico, não podem ser tratados com um tabu. Independente da religião e cultura a que pertencemos, a morte é um fenômeno biológico, é a mesma coisa para todos. Nenhum designer pensa em caixões, isso se torna uma forma de refletir sobre o quão distantes estamos da mãe natureza”.

Minha opinião:

Ainda estou pensando muito sobre o assunto. Não vou à velórios, cemitérios, ou cultos fúnebres. Não por medo, ou por achar tudo mórbido demais. Eu simplesmente vejo a morte de uma maneira muito diferente da maioria das pessoas. Tão diferente, que acabo tornando-a particular. Uma forma muito minha, qual não compartilho com todas as pessoas, por que penso que nem todos compreenderiam. E como diz no cabeçalho do blog: Ser incompreendido é o destino, de todos que se parecem comigo. Se você também enxerga a vida e a morte de uma forma diferente das pessoas, entra pro meu clubinho! Inclusive, tô até pensando em criar um clubinho chamado: “Incompreendidos”.

Brincadeirinhas a parte…

A visão que tenho sobre a vida, a morte, e sobre o que vem depois dela, se enquadra bastante no objetivo desse casal. Fiquei bem fascinada com o projeto. Eu achei a ideia nobre. Amaria encerrar minha passagem pela terra dessa forma. O grande problema, é o nosso passado, nossa realidade, e todas as perspectivas que a humanidade tem sobre o nosso futuro na terra. Ainda vivemos muitos tabus, e conservamos tradições milenares a quaisquer custo. Para conseguir fazer isso, enfrentaríamos o sistema, as leis, as tradições, as religiões (e os religiosos)… Enfrentaríamos um mundo inteiro, caso ele não se aliasse a nós. Isso acaba tornando o caminho um pouco mais difícil do que parece. Ok, ok. Isso não pode ser um motivo para desacreditarmos no projeto, ou de acharmos que não poderíamos vivenciá-lo enquanto estivermos passando por aqui. A ideia é brilhante. E eu adoraria fazer parte dela. Mas, eu ainda não sei se seríamos tão sublimes, mesmo sendo tão humanos.

E vocês, o quê acham disso? Me contem nos comentários, ou me mande um e-mail: pontodalira@gmail.com

Site do projeto: http://www.capsulamundi.it/
Página Oficial no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Capsula-Mundi/391107020996379?fref=ts 


 

anuncie-728X904
Quer anunciar aqui? Envie sua proposta para pontodalira@gmail.com